Mestrado em relações internacionais

Nesse dia 7 de fevereiro, terça-feira, os aprovados no curso de mestrado de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)…

O mestrado é um caminho para quem almeja o sucesso profissional (Foto: Divulgação)

Nesse dia 7 de fevereiro, terça-feira, os aprovados no curso de mestrado de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) devem efetuar sua matrícula na instituição de ensino. Depois desse período, de acordo com as vagas remanescentes, outras pessoas serão convocadas para efetuarem o cadastro que torna possível o ingresso nas aulas. Para essa segunda chamada, os candidatos requalificados terão que se matricular entre o dia 9 e 10 de fevereiro. A data prevista para o começo das aulas é 10 de março.

O mestrado é o primeiro nível de pós-graduação stricto sensu que existe no Brasil. Esse tipo de especialização é ministrada por professores-doutores, que são os responsáveis pelo acompanhamento do aluno no decorrer do processo de pesquisa. Cada pessoa tem um orientador de pesquisa, que ajuda o estudante a encaixar o projeto ao conceito desejado e as regras da universidade. Durante dois anos (período em que o mestrado acontece), algumas disciplinas obrigatórias devem ser frequentadas. Esse conhecimento adquirido será utilizado para a formação e defesa da sua tese, que ao fim do curso, será avaliada por uma banca composta por três professores-doutores, fora o profissional que orientou o projeto.

O curso possui duração de 24 meses (Foto: Divulgação)

Para quem quer se aprofundar na área de Relações Internacionais a Universidade de São Paulo (USP) promove cursos nesse segmento. O programa, de natureza multidisciplinar, está organizado em torno de duas linhas de pesquisa. A primeira é Economia Política Internacional, que trata de investimentos acadêmicos da Economia Internacional, do Direito Internacional, da Ciência Política e da História. Esta linha de estudo inclui temas de interface entre processos políticos e econômicos internacionais, tais como o papel das organizações internacionais no multilateralismo contemporâneo, as relações entre regulação doméstica e acordos internacionais, economia política da integração regional, economia política das relações internacionais, atores políticos e processos internacionais, e, comércio internacional e finanças internacionais.

No fim da pesquisa é preciso defender o seu projeto na frente de uma banca de doutores (Foto: Divulgação)

A segunda linha de pesquisa é Cultura e Questões Normativas nas Relações Internacionais, também de caráter eminentemente interdisciplinar. Esta linha é dedicada à pesquisa sobre temas relacionados às questões normativas da agenda internacional, tais como direitos humanos internacionais, relação entre globalização e direitos universais, intervenções humanitárias internacionais, aspectos normativos da guerra e o papel da sociedade internacional em uma nova ordem global. Para se inscrever no curso é preciso ficar atento ao período indicado no site, que é uma vez por ano. Acesse o portal da USP para ter mais informações.

Leia Também:  Endereços dos Centros de Língua em SP

Top