quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023 - 08/02/2023 13:58:09
MundodasTribos

A greve dos professores 2012 ganha adeptos em todo o país.

A greve nacional dos professores já está sendo aderida em todo o país, ou seja, conta com a participação de educadores dos 23 estados e Distrito Federal. O manifesto ganhou novos adeptos na última quarta-feira (14) e tem como objetivo validar a lei que determina o aumento no piso salarial da categoria.

A CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) estima que a greve se estenda até sexta-feira (16). Mesmo com apenas três dias de paralisação, os professores das 24 unidades da Federação reivindicam que, os governos de todos os estados cumpram com a remuneração proposta de R$ 1.451,00 para 40 horas semanais de trabalho.

Os professores programaram uma paralisação nacional de três dias para conseguir visibilidade no cenário da educação, o que implica em falta de aula para os alunos da rede pública de ensino. Além de validar o salário mínimo de início de carreira, a greve também espera aumentar o s investimentos públicos no sistema de ensino de cada estado, que correspondem apenas a 10% do Produto Interno Bruto no Plano Nacional de Educação.

Segundo informações da CNTE, 17 Estados não estão conseguindo cumprir a Lei Nacional do Piso do Magistério. Com as aulas suspensas, as Secretarias de governos estaduais e municipais buscam entrar em um acordo com os educadores para que a paralisação não se estenda por mais dias.

O que este artigo aborda:

A greve dos professores pelo Brasil

Algumas escolas da rede pública tiveram aulas suspensas.

Em alguns estados brasileiros, a paralisação acontece com mais intensidade, sobretudo onde o piso salarial não é cumprido como deveria. Confira a seguir informações sobre a greve de acordo com cada região do país.

Nordeste

Maranhão: apesar de a greve ter afetado as escolas municipais, as unidades estaduais não suspenderam as aulas.

Piauí: o Governo do estado não sabe ao certo quantos professores piauienses aderiram à greve até o momento.

Ceará: Secretaria de Educação do Estado confirmou os ajustes do salário e espera que nenhum professor receba menos que o piso nacional.

Bahia: como mais de 5 mil professores não recebem o salário estimado, a rede estadual e municipal de ensino aderiram a greve.

Pernambuco: a greve foi adotada parcialmente e não se sabe exatamente o número de professores que estão se ausentando nas aulas.

Paraíba: a paralisação dos professores se iniciou ontem (14) e deve se estender até amanhã (16). Devido a greve, 450 mil alunos ficarão sem aulas.

Rio Grande do Norte: aconteceu paralisação parcial nas escolas públicas do território capixaba.

Sergipe: mesmo com o governo do estado afirmando que cumpre com o piso salarial da categoria, os professores sergipanos entraram em greve.

 Alagoas: o estado apresenta uma situação bem crítica, afinal, o ano letivo ainda nem começou. Os alunos seguem sem aulas e a Secretaria da Educação tenta negociar com os educadores que pararam as atividades.

Norte

Acre: paralisação parcial das escolas públicas do estado

Amapá: estima-se que 40% das instituições de ensino aderiram à paralisação

Amazonas: os professores recebem salário superior ao piso nacional, por isso o movimento não vai afetar as escolas.

Pará: houve adesão da greve e 50% dos professores estão sem trabalhar.

Rondônia: a paralisação já acontece nas escolas da rede estadual.

Roraima: existem 360 escolas estaduais e apenas 29 aderiram à greve.

Tocantins: estima-se que nesta quinta-feira (15), a paralisação atinja para 50% das escolas.

Centro Oeste

Distrito Federal: a rede pública de ensino do DF se encontra em greve desde segunda-feira (12).

Goiás: desde 6 de fevereiro, cerca de 70% das escolas estaduais goianas estão com aulas suspensas.

Mato Grosso: a paralisação foi aderida pelos educadores, sendo que somente em Cuiabá cerca de 80 mil alunos devem ficar sem aulas.

Mato Grosso do Sul: A greve no estado é fomentada por 90% dos profissionais da educação.

Sudeste

Espírito Santo: não houve paralisação ainda.

Minas Gerais: a adesão foi parcial na capital mineira.

Rio de Janeiro: o estado ainda não foi afetado pela greve, apensar de alguns protestos.

São Paulo: apesar da Secretaria da Educação afirmar que as escolas estão funcionando normalmente, cerca de um terço dos professores participam de movimentos.

Sul

Paraná: cerca de 80% das escolas municipais da capital paranaense estão sem aulas.

Santa Catarina: as aulas nas escolas estaduais serão suspensas apenas na quinta-feira (15).

Rio Grande do Sul: a Seduc afirmou que 51% dos professores da rede pública aderiram a greve.

O Ministro da Educação afirma que a greve não deve durar mais do que três dias.

 

 

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Isabella Moretti

Publicitária, pós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais. É também empresária e CEO & Founder do ViaCarreira

1

Pode ser do seu interesse

Curso gratuito sobre a história do estado de São Paulo CIEE

Curso gratuito sobre a história do estado de São Paulo CIEE

Aulas de Português Grátis Online

Aulas de Português Grátis Online

Cursos Cefet PE 2015 – Escola Técnica de Pernambuco

Cursos Cefet PE 2015 – Escola Técnica de Pernambuco

Vagas de Trainee na Tempo Janeiro 2010

Vagas de Trainee na Tempo Janeiro 2010

Cursos que serão avaliados pelo Enade 2013

Cursos que serão avaliados pelo Enade 2013

Concursos para Instituto Militar de Engenharia do Exército 2015

Concursos para Instituto Militar de Engenharia do Exército 2015