Escolha o plano de previdência certo

Escolher um plano de previdência privada não é nada fácil e precisa ser feito com atenção e cautela. Quem optar em possuir um serviço…

Por Redacao em 17/12/2011

Escolher um plano de previdência privada não é nada fácil e precisa ser feito com atenção e cautela. Quem optar em possuir um serviço como este, para que no futuro tenha um “dinheirinho” garantido, precisa escolher entre o PGBL e o VGBL. O PGBL significa Planos Geradores de Benefício Livre e o VGBL representa Vida Gerador de Benefício Livre. Apesar de possuírem nomes parecidos, ambos possuem suas particularidades que precisam ser conhecidas pelo contratante.

O primeiro fator a ser levado em consideração é a declaração do Imposto do Renda – aquele processo que somos submetidos a fazer todos os anos. Então, caso você só declare através do modelo completo, deve escolher o PGBL, pois nele você poderá descontar até 12% das suas contribuições anuais. Já caso você sempre declarou e não imagina realizar em outra forma a não ser o modelo simples, deve escolher o VGBL.

Para que seu dinheiro renda mais é necessário contratar também um banco ou seguradora para que possa administrar seus investimentos. No entanto, este tipo de serviço não é de graça e, por isso, é preciso estar atento às taxas cobradas. As taxas de administração são variáveis dependo do plano e empresa escolhida para administrar. Elas podem partir de 0,5% e atingir até mesmo 3,7% ao ano. Escolha o plano com a menor taxa, pois quanto menor ela for, melhor para você.

Fique de olho também nas taxas de carregamento cobradas pelos bancos ou seguradoras. Essa tarifa é exigida toda vez que é feito um aporte ou no resgate do plano sobre o valor acumulado. Os percentuais podem variar de 2% a 8%. Siga a mesma lógica das taxas de administração: quanto menor, melhor.

No momento da escolha da previdência preste atenção ao tipo de tributação. Opte pela regressiva, diminuição do imposto ao longo dos anos, caso você queira um prazo maior de plano de aposentadoria. Nela o percentual pode cair de 35% para 10% após 10 anos. Se você, porém, tem a intenção de resgatar o dinheiro em curto prazo, escolha a tributação progressiva. Além disso, esta é indicada caso o valor do benefício projetado for menor do que o teto de isenção da tabela progressiva. Nesta opção a tributação pode subir de 7,5% para 27,5% ao passar do anos.

Para conhecer melhor sobre os planos de previdência o mais aconselhável é conversar com um consultor focado em gestão financeira pessoal ou familiar. Visitar os bancos e seguradoras também é um ótimo meio para conhecer as diferentes ofertas.

Top