Insatisfação com o salário: o que fazer

A insatisfação com o contracheque é sem dúvidas a que mais incomoda os trabalhadores. Receber um salário abaixo do mercado de trabalho, ou a…

Ficar insatisfeito com o salário não é nada bom, mas você pode mudar essa situação (Foto: Divulgação)

A insatisfação com o contracheque é sem dúvidas a que mais incomoda os trabalhadores. Receber um salário abaixo do mercado de trabalho, ou a quem das funções desempenhadas dentro da empresa, faz com que o colaborador fique desanimado e isso reflete diretamente no relacionamento com os colegas e até faz com que o rendimento desse funcionário diminua. Se você se vê passando por esse problema, saiba que algumas atitudes suas pode mudar esse cenário salarial, embora quando se trata de aumento de rendimentos a palavra final seja da companhia em questão.

Ficar reclamando, falando mal da organização em que trabalha para todos que conhece, e realizar suas funções de cara feia, não vai ajudar em nada, pelo contrário, em vez de conquistar um salário maior vai ficar desempregado. Nenhum empregador quer uma pessoa insatisfeita andando pelos corredores da companhia, isso contamina o ambiente e faz com mais grupos de colaboradores comecem a achar que o emprego que possuem não é o que merece.

Evite falar mal da empresa, mesmo diante de uma insatisfação (Foto: Divulgação)

Você já se perguntou se realmente merece um salário maior? Então reflita sobre essa questão. As pessoas que mal fazem o seu trabalho direito tendem a achar que são os melhores colaboradores do mundo. Reclamam o dia todo que estão atarefados demais quando na realidade só não tem agilidade para resolver os problemas, que muitas vezes, foi criado por ela mesma. Seja sincero consigo mesmo e veja se você está fazendo algo além da sua função, pois se estiver só fazendo sua obrigação o salário mediano reflete o profissional.

Leia Também:  Hábitos que podem te deixar rico mesmo com salário baixo

O aumento não deve ser ganho, mas sim conquistado. Ser proativo, interessado em conhecer setores e tarefas novas e ter um bom convívio com os colegas de trabalho é o mínimo a ser feito para demonstrar que se quer um aumento. Mas não adianta fazer tudo isso e não “vender” o seu trabalho.

Nenhuma empresa gosta de pessoas desanimadas (Foto: Divulgação)

O marketing pessoal deve existir todos os dias nos pequenos gestos. O seu supervisor está muito ocupado com as tarefas do dia-a-dia e nem sempre convive ao seu lado para saber das suas qualidades, por isso, dê uma “forcinha” para ele. Coloque-se à disposição para a realização de atividades que costuma fazer, mas que ele não vê e mande e-mail com a resolução do problema para a ciência dele.  Investir no marketing pessoal não quer dizer que deva bajular o seu supervisor. Esse tipo de atitude pode lhe aproximar de uma promoção, mas lhe afasta dos colegas, que futuramente farão parte da sua equipe de subordinados.

Se depois de mostrar o seu valor para a companhia e assumir várias responsabilidades a quem do seu cargo não ocasionar em um salário melhor, converse com seu chefe, diga que quer um aumento de salário, que está insatisfeito com o valor que recebe. Após essa conversa franca, caso o problema persista, o jeito é buscar um emprego em outra companhia, com salário maior. Porém, não adianta fazer tudo isso se o ramo aonde você atua não paga o que você quer receber. Nessa situação a mudança deve ser mais radical: troque de carreira.

Top