Doação de cordão umbilical: saiba mais

O cordão umbilical é rico em células-tronco, essencial para o transplante de medula óssea, material valioso que pode tratar doenças como linfomas, anemias graves…

Por Editorial MDT em 14/10/2013

O cordão umbilical é rico em células-tronco, essencial para o transplante de medula óssea, material valioso que pode tratar doenças como linfomas, anemias graves e leucemias. Atualmente o congelamento do sangue de cordão umbilical pode ser feito em bancos privados e também públicos. Saiba mais sobre o assunto e veja como funciona a doação de cordão umbilical.

O sangue do cordão umbilical pode ser usado em transplantes. (Foto divulgação)

Sangue umbilical é rico em células-tronco

De acordo com especialistas, as células-tronco presentes no sangue do cordão umbilical, são usadas para fazer transplantes de medula óssea de um individuo para outro, sem relação de parentesco. Elas funcionam como uma alternativa de tratamento. Porém, quando é material é retirado do próprio paciente, o efeito não acontece.

O país já fez em torno de 110 transplantes de células tronco, com materiais provenientes da rede BrasilCord. Os bancos públicos possuem atualmente 10 mil unidades de sangue de cordão. Essas células são úteis para o momento, não para um futuro incerto. Não se sabe ao certo o tempo de armazenamento delas, mas existem comprovações de que em 25 anos o material se mantém útil. A chance de conseguir opções de tratamento será em bancos públicos, não no material armazenado.

Na opinião do médico, o Brasil tem uma rede de bancos públicos de sangue do cordão muito razoável. São cerca de dez unidades em diferentes estados, a ultima foi recentemente inaugurada em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

A doação do sangue do cordão umbilical é muito benéfico. (Foto: divulgação)

Doação de cordão umbilical

Os critérios para doação são muito rigorosos, porém nem todo material será útil. A gestante deve fazer um acompanhamento com pré-natal muito criterioso, assinar termo de consentimento e responder a um questionário sobre a vida da família. É preciso ter segurança nesse tipo de doação, não serão usados materiais de gestantes com algum tipo de doença ou que não atendam esses pontos.

Para que o sangue possa ser doado nos dias atuais, a futura mamãe precisa ter entre 18 e 36 anos. Até o final do ano, não existe limite máximo de idade. Outro fator limitante é a quantidade de sangue coletada. Para que seja usado em um transplante, é necessário ter no mínimo 70 ml. A média é de 100 ml, mas existem cordões com volumes de até 200 ml. O que pode inviabilizar o congelamento do material é a maneira incorreta de fazer a coleta.

Se a coleta for interrompida antes do tempo, terá uma quantidade insuficiente. Por isso ela deve ser feita até o fim, o máximo que puder. As equipes devem ser treinadas para fazer isso com muita cautela e paciência.

O sangue pode ser armazenado. (Foto: divulgação)

Muitas pessoas se perguntam por que congelar as células tronco, mas elas podem ajudar a salvar vidas. O sangue presente no cordão umbilical é rico em células tronco que pode ser usado em transplantes de medula e muito mais. Para saber mais sobre o assunto, consulte um médico especialista.

Top