Dicas para encontrar um bom cirurgião plástico

O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking mundial de plásticas, com 905 mil procedimentos realizados em 2011, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.…

Por Isabella Moretti em 04/04/2013

O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking mundial de plásticas, com 905 mil procedimentos realizados em 2011, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Os dados mostram que as brasileiras estão cada vez mais interessadas em entrar numa sala cirúrgica para melhorar alguma parte do corpo.

É necessário tomar alguns cuidados para escolher o cirurgião certo. (Foto:Divulgação)

Saiba mais: Cirurgiões plásticos credenciados, como consultar, como escolher

A cirurgia plástica pode ser perigosa

Para conseguir as curvas ou o rosto desejado, as mulheres não medem esforços e se submetem às cirurgias plásticas. No entanto, antes de encarar o bisturi, é importante avaliar se existe mesmo a necessidade do procedimento. Também é fundamental conhecer o preparo do médico para realizar o trabalho.

Quando os cuidados para realizar uma cirurgia plástica não são tomados, a mulher pode acabar sofrendo com as consequências. Um profissional sem qualificação pode deixar o lugar da operação desproporcional ao corpo ou com cicatrizes feias. Na pior das hipóteses, um procedimento cirúrgico mal feito pode levar à morte.

Como escolher um bom cirurgião plástico?

Confira a seguir os fatores que precisam ser considerados para definir um bom cirurgião plástico:

• Primeiro a paciente deve verificar se o médico responsável é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

• Procurar referências do profissional escolhido também é importante. Desta forma, vale a pena conversar com ex-pacientes e obter o máximo de informações;

A cirurgia plástica deve ser a especialidade do médico. (Foto:Divulgação)

• O cirurgião plástico deve dispor de uma equipe médica competente e de uma sala preparada para realizar o procedimento. Muitas operações apresentam falhas quando faltam condições no local ou quando a equipe não obteve treinamento;

• A paciente deve verificar se o médico tem a especialidade de cirurgia plástica no currículo. A maioria das queixas que chega ao Cremesp (Conselho Regional de Medicina) está relacionada aos profissionais que não são especialistas;

• Vale a pena conversar com mais de um médico, para comparar as opiniões e honorários. Este tipo de contato com os profissionais também ajuda a esclarecer dúvidas;

• Se o preço cobrado pelo cirurgião plástico for muito abaixo da média, a paciente deve desconfiar da viabilidade do procedimento;

Quando os preços são baixos demais, é importante desconfiar. (Foto:Divulgação)

• Ao visitar a clínica, é fundamental questionar sobre os padrões de segurança, qualidade dos equipamentos e índices de infecção;

• Um bom cirurgião plástico não tem apenas a especialidade. Ele também deve buscar atualização profissional através de cursos, congressos e simpósios;

• A paciente deve evitar os anúncios sensacionalistas que prometem resultados fantásticos. Também vale desconfiar dos cirurgiões que realizam procedimentos no próprio consultório alegando menor custo.

Veja também: Como pesquisar e escolher a cirurgia plástica

Top