Curso de Engenharia de Biossistemas

Se existe um fator que tem sido determinante para definir o início do século 21 é a tecnologia. Ela tem sido tão fundamental que,…

Se existe um fator que tem sido determinante para definir o início do século 21 é a tecnologia. Ela tem sido tão fundamental que, se por um lado, eliminou diversos postos de trabalho, criou outros tantos. Uma dessas novas especialidades que surgiram nessa nova era é a Engenharia de Biossistemas, um novo ramo que estuda a ciência e a tecnologia de suporte à produção de alimentos, materiais e energia.

A engenharia de biossistemas, para ser mais exato, não é só uma decorrência natural do avanço da área de tecnologia, mas também de uma outra grande marca desse início de século que é a ecologia, a sustentabilidade. Portanto, trata-se de uma profissão que foi resultado da junção dessas duas frentes. Tanto que ela, com seu aparato tecnológico, garante que a população possa ter, em grande quantidade, tanto alimentos, como água pura e potável, isso sem contar com combustíveis limpos, fontes de energia alternativas e um ambiente seguro e saudável.

Nesse processo, cabe aos engenheiros de biossistemas, equacionar a relação dos seres humanos com seu ambiente natural. Como ele consegue isso? Graças aos avanços em mecanização, tecnologia de informação e computação, o engenheiro pode melhorar o rendimento geral, enquanto reduz os gastos.

Cursos disponíveis

O fato de ter como filosofia, aliar a tecnologia com a preocupação com o ecossistema, faz da profissão de engenheiro de biossistemas, uma das mais atraentes. Logo, evidentemente, os cursos de nível superior se tornam imprescindíveis. Um deles, considerado “top”, é o bacharelado oferecido para a área desde 2009 pela Universidade de São Paulo. Na realidade, trata-se do primeiro na América Latina. Esse curso oferece 60 vagas em período integral e é ministrado na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, no campus de Pirassununga, no interior do Estado de São Paulo.

Leia Também:  25 de outubro: Dia da Democracia

Com duração de dez semestres, esse curso que aborda temas relacionados à produção animal e vegetal, relacionados às tecnologias de automação, da informação e de apoio à produção, tem como finalidade formar profissionais capacitados para projetar sistemas que beneficiem a produção sustentável, mediante o uso de tecnologias inovadoras na cadeia do agronegócio.

Destaca-se também, ainda em São Paulo, a Universidade Federal do ABC que oferece curso de Engenharia de Biossistemas tanto em Mestrado quanto em Doutorado.

Fora de São Paulo, outra alternativa é a Universidade Federal de Campina Grande, no Estado da Paraíba, que desde 2009 oferece 250 vagas para o curso de Engenharia de Biossistemas que também visa oferecer uma formação adequada às exigências da profissão. Para isso, oferece um estudo voltado para sistemas ambientais que favoreçam a produção sustentada de alimentos, fibras e energia. Há também a Universidade Federal de Pelotas, do Rio Grande do Sul que oferece o curso em latus sensu, em que busca-se capacitar os alunos a compreender com profundidade e a projetar sistemas e equipamentos para dinamizar a agroindústria

Esses são apenas algumas de cursos disponíveis. Certamente, apesar dessa atividade ainda ser muito recente no Brasil, em pouco tempo, até para atender a demanda que é grande na área da agroindústria brasileira, novos cursos surgiram para dar um maior suporte a essa especialidade da engenharia que tem tudo para ser sucesso em nosso país.

Top