Colchão – como escolher, dicas

Muitas pessoas acabam não levando o colchão muito a sério, e compram apenas por preço ou recomendação de alguém. A verdade, é que muitas…

Por Editorial MDT em 19/01/2012

Passamos cerca de 24 anos de nossas vidas em cima de um colchão. (Foto: Divugação)

Muitas pessoas acabam não levando o colchão muito a sério, e compram apenas por preço ou recomendação de alguém. A verdade, é que muitas vezes o colchão é tratado como algo não muito importante, até que começam a surgir problemas e dores.

Parece estranho, mas passamos uma boa pare da vida sobre eles. De acordo com o IBGE, a expectativa de vida dos brasileiros está em 71,3 anos. Se uma pessoa que vive 71 anos, dorme pelo menos 8 horas por dia, ela terá acumulado um total de 23 anos, 9 meses e 7 dias de sono, ou seja, praticamente um terço da vida dormindo.

Mas se o colchão é tão importante, no qual passamos tanto tempo, como saber qual tipo ou marca deve ser comprada? Para começar, a melhor maneira de escolher um colchão é testando, portanto não tem jeito, tem que chegar na loja e deitar, experimentar todos os modelos e então verificar qual possui uma textura melhor, ou mais proporciona maior conforto.

Colchão Ortobom Box. (Foto: Divulgação)

Um colchão dura entre três e quinze anos, portanto, vale a pena experimentar bem antes de comprar. Ao testar um colchão é importante avaliar se ele é muito durou ou muito macio, se afunda demais, ou se o contato com o tecido é estranhou ou áspero. Quando o colchão é de casal, é importante que a escolha seja feita em conjunto, já que as duas pessoas dormirão sobre ele.

Para acertar na escolha, ainda é importante verificar se a densidade condiz com seu peso e altura. Para verificar isso, há tabelas nas lojas, mas os casais que possuem físicos muito diferentes, podem optar por um colchão com densidade diferente, que pode ser encomendado com o vendedor.

Colchao Articulado. (Foto: Divulgação)

Outra grande dúvida, fica na hora de escolher entre um colchão de mola e um de espuma. Os colchões de espuma costumam durar de três a cinco anos, pois por serem mais macios acabam deformando com maior facilidade, além de custarem mais barato.  Este tipo de colchão normalmente é confeccionado com duas espumas bem comuns no mercado, o poliuretano, normalmente bem simples e barato; o látex, que custa um pouco mais que o poliuretano, mas é bem mais confortável, ou a espuma viscoelástica, que é bem mais macia, confortável e cara que os anteriores.

Os colchões de mola possuem uma estrutura bem mais complexa do que os de espuma, além de manterem o formato original por um tempo muito maior, serem bem mais pesados e caros. Colchões de mola podem ser divididos em dois tipos, o Bonnel, que possui revestimento de espuma e um preço mais baixo e o de molas ensacadas, que custa mais caro, porem possui cada mola ensacada individualmente, o que proporciona menos movimento e mais silêncio.

Depois de tantas dicas, a melhor opção é seguir para uma loja e testar qual é colchão que se adéqua as suas necessidades e ao seu bolso.

Top