Coisas que você não sabe sobre o HPV

Uma a cada quatro brasileiras está contaminada pelo HPV. Essa informação foi dada pelo Hospital do Câncer de São Paulo, o que mostra que…

Uma a cada quatro brasileiras está contaminada pelo HPV. Essa informação foi dada pelo Hospital do Câncer de São Paulo, o que mostra que é muito grande o número de mulheres com papiloma vírus, causador de 95% dos casos de câncer de colo de útero. Saiba mais sobre o assunto e veja coisas que você não sabe sobre o HPV. Confira.

O HPV pode ou não causar câncer de colo de útero. (Foto: divulgação)

O que é HPV

O HPV é um condiloma acuminado, também conhecido como verruga genital, figueira de cavalo, crista de galo. Trata-se de uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pelo Papilomavírus Humano (HPV). Atualmente existem mais de 100 tipos de HPV, podendo causar câncer, principalmente nas regiões como ânus e colo uterino.

A infecção com esse vírus é muito comum, mas nem sempre resulta em câncer. O exame de prevenção ginecológico pode detectar as alterações precoces no colo do útero. Não se sabe sobre o tempo que o HPV pode ficar sem apresentar sintomas e quais são os fatores responsáveis pelo desenvolvimento das lesões. Por esse motivo, é recomendado procurar ajuda de um profissional periodicamente.

A vacina contra o HPV pode não ser eficaz. (Foto: divulgação)

Coisas que você não sabe sobre o HPV

1. Camisinha masculina não protege totalmente contra o HPV.

O preservativo masculino protege contra doenças sexualmente transmissíveis e previne a gravidez, porém não é muito eficaz na prevenção do contágio com HPV, mesmo quando ocorre a penetração.

2. A camisinha feminina oferece maior proteção contra o HPV.

Segundo especialistas, a camisinha feminina aumenta a área de cobertura, o que isola também a vulva do contato com o parceiro, sendo eficaz para prevenir o contágio por HPV. Porém, deve ser usada desde o começo do ato sexual.

Leia Também:  Tratamentos Estéticos Gratuitos: SP, RJ

3. A vacina contra o HPV  não exclui totalmente o risco de câncer de colo de útero.

De acordo com o Inca, a vacina protege somente contra dois tipos de HPV, responsáveis por aproximadamente 70% dos casos de câncer de colo de útero. Isso significa que 30% dos casos não podem ser evitados por quem toma a vacina.

4. A mãe pode transmitir o vírus para o bebê antes do parto.

A contaminação pode ocorrer antes do parto e a opção pela cesariana não garante a prevenção do HPV, caso a mãe seja infectada pelo vírus. Em casos de parto normal, o desenvolvimento das lesões no bebê é rara.

5. Uma vida desequilibrada pode aumentar a incidência do HPV.

O organismo é responsável por eliminar a maior parte dos tipos de HPV. Porém, quando o sistema imune está prejudicado, as chances de uma infecção aumentam. Fumar ou beber excessivamente, usar drogas acabam fazendo com que a mulher seja contaminada com mais facilidade pelo HPV.

O uso de preservativos é essencial para prevenir o HPV. (Foto: divulgação)

O HPV é uma doença sexualmente transmissível que acomete muitas pessoas em todo o mundo. Ela deve ser prevenida, já que pode comprometer a saúde dos indivíduos. O ideal é apostar no uso de métodos preservativos de barreira, como camisinha feminina e masculina. Caso seja diagnosticado o problema, o médico deverá ser consultado periodicamente.

Top