Catarata: como evitar, tratamento

O olho humano é parecido com uma câmara de filmagem. Internamente, na parte anterior do olho, existe uma lente denominada cristalino e na parte…

Por Editorial MDT em 27/01/2012

A catarata impede que a pessoa afetada tenha uma vida normal

O olho humano é parecido com uma câmara de filmagem. Internamente, na parte anterior do olho, existe uma lente denominada cristalino e na parte posterior, uma película nervosa, conhecida como retina. A primeira tem como função a focalização das imagens, já a segunda é responsável pela captação das mesmas.  Assim, para que exista uma visão adequada, é necessário que ambas estejam integradas, principalmente o cristalino. Ele precisa estar transparente, possibilitando que os raios de luz sejam captados pela retina.

Sabendo disso, um indivíduo é portador de catarata quando o cristalino encontra-se opacificado, o que impede a chegada de luz até a retina, prejudicando a formação das imagens e, dessa forma, alterando o sentido da visão.

Causas

Durante o processo de envelhecimento, muitas pessoas poderão desenvolver catarata. Em geral, ela começa a aparecer por volta dos sessenta anos de idade, mas pode ocorrer mais cedo. Sendo assim, a idade é um contribuinte importante para o aparecimento desta doença, principalmente pelo envelhecimento das células formadoras do cristalino.

Outros fatores envolvidos no aparecimento da catarata são:

  • Traumatismos oculares;
  • História familiar de indivíduos portadores de catarata;
  • Doenças sistêmicas como diabetes e hipertensão arterial;
  • Alguns medicamentos;
  • Infecções oculares.

Características da catarata

Prevenção

Existem dois tipos de catarata, que são:

  • Congênita (que já está presente ao nascimento);
  • Adquirida.

Dentre os motivos que podem desenvolver a doença congênita são, os principais são, as infecções que podem ocorrer durante a gravidez, como rubéola, toxoplasmose ou mesmo desordens metabólicas. Sabendo isso, a melhor maneira de evitá-la seria:

  • Realizar o pré-natal adequado;
  • Evitar contato com pessoas portadoras do vírus da rubéola durante a gestação;
  • Alimentar-se de carnes ‘bem passadas’;
  • Evitar contato com fezes de cachorro ou gato;
  • Procurar atendimento médico caso apareça algum distúrbio durante a gravidez.

Já em relação a catarata adquirida, ou seja, aquela que aparece depois de algum tempo, podemos citar alguns cuidados como:

  • Evitar trauma ocular;
  • Não realizar uso de medicamentos sem orientação médica;
  • Caso seja portador de alguma doença sistêmica, como diabetes e hipertensão arterial, realizar o controle correto, além de fazer uso dos medicamentos prescritos de maneira adequada;
  • Ao perceber alguma alteração visual, procure um atendimento médico especializado.

Tratamento

O único tratamento eficaz para a catarata é o cirúrgico, sendo que a decisão de quando deve ser realizada deverá ser tomada em associação do médico com o indivíduo portador.

Atualmente a cirurgia tem em torno de 90% de eficácia. O procedimento possui tempo médio de duração entre 15 a 20 minutos, sendo realizada com anestesia local. Após a cirurgia, o paciente ainda permanece em observação em torno de 3 a 4 horas, podendo ir para casa em seguida. É necessário ressaltar que é feita a cirurgia de um olho de cada vez, existindo um intervalo entre as operações de, pelo menos, 30 dias.

A catarata é uma entidade muito comum em nosso meio, principalmente a do tipo adquirida. Como foi demonstrado, existem algumas maneiras de evitá-la. Se você perceber opacificação nos olhos, procure um atendimento médico especializado, principalmente se isso ocorrer durante a gestação.

Top