Autoestima lá em Cima Ajuda a Enfrentar Problemas Sociais

Nos últimos anos uma certa palavrinha tem se tornado a chave de quase tudo que diz respeito a nossa vida: autoestima. Esta palavra está…

Nos últimos anos uma certa palavrinha tem se tornado a chave de quase tudo que diz respeito a nossa vida: autoestima.

Esta palavra está presente em nosso cotidiano de diversas formas, especialmente na literatura de autoajuda e espaços de aconselhamento pessoal ou profissional e não é a toa: de acordo com o Portal do Administrador trata-se da opinião e do sentimento de cada um tem por si mesmo, sendo a capacidade de respeitar, amar e acreditar em si próprio. Ela começa a se formar na infância, através dos relacionamentos e da forma como somos tratados. E como quase tudo na vida que diga respeito a construção da personalidade, os acontecimentos dos anos infantis podem exercer influência significativa a medida em que crescemos.

Em termos: estamos falando de algo do qual teremos de recorrer para quase tudo na vida. Autoestima tem a ver como a maneira como nos enxergamos e consequentemente, com a forma que agimos, seja em casa, na rua ou no trabalho. Tem absolutamente tudo a ver com a nossa interação com outras pessoas e com a forma com que nos expomos no cotidiano. O problema é que nem sempre a nossa capacidade de acreditar em nós mesmos parece forte o bastante. A verdade é que para muitas pessoas, a autoestima é mais frágil do que se pensa.

Quando a baixa autoestima bate a nossa porta

Muitas vezes ocorre um vacilo de acordo com os momentos que vivenciamos: são coisas dos quais ninguém está livre como decepções, frustrações ou não reconhecimento. Todo mundo tem um momento onde ela passa por momentos delicados e acaba ficando abalada, mas o verdadeiro problema é quando a baixa autoestima vira rotina.

Esta significa um passo atrás na resolução de qualquer aspecto, especialmente quando estamos falando sobre a nossa vida social. Nosso cotidiano exige uma exposição frequente de forma que evitar algo assim em nome da falta de confiança em nossas próprias qualidades pode significar prejuízos. Hoje é preciso falar em público na escola, na faculdade, no trabalho, na hora de procurar um emprego e em nosso lazer. É preciso demonstrar confiança em nós mesmos e naquilo que fazemos.

Leia Também:  Aprenda a impor limites no trabalho

Como levantar a autoestima?

E se a formação dela costuma depender da percepção dos outros, uma resolução depende inteiramente de uma única pessoa: você mesmo.

Parece contraditório afirmar algo assim, mas uma pessoa com baixa autoestima não reconhece o próprio valor e busca constantemente o reconhecimento alheio. Porém quando consegue essa aprovação, a realidade é que isso não o deixa satisfeito. O elogio não parece ser algo duradouro, não é suficiente para que ele acredite no próprio potencial. Isso é um claro indício que a mudança precisa partir de dentro para fora.

Confira algumas dicas do blog Tratamento da Depressão:

– Afaste os pensamentos negativos: Se a baixa autoestima se alimenta de pensamentos negativas é essencial tomar cuidado com a ideia de autocrítica. Palavras como forma de depreciação ferem qualquer um quando pronunciadas ou pensadas, inclusive você mesmo.

Não se compare a outras pessoas, seja você: Muitas vezes nos pegamos fazendo comparações com outras pessoas e até nos depreciamos em função do resultado. Porem é preciso olhar mais para si e esforçar-se para melhorar, mas de acordo com suas próprias necessidades e seus reais desejos.

– Agrade a si mesmo: Não negligencie suas necessidades e nem sua sensibilidade. Pense em si.

Não leve tudo tão a sério: Errar não significa fracasso, mas sim aprendizado. Não seja tão duro ao errar e nem desista: reflita e tente novamente.

Não se esqueça dos seus sucessos: Se a baixa autoestima se alimenta de pensamentos a respeito de fracassos e depreciação, a autoestima se alimenta de atos dos quais se orgulha. Não use isso como arma de compensação, mas sim como algo que te estimule para os próximos desafios.

Leia Também:  Como se livrar do vício em celular

Mexa-se: Faça aquilo que lhe deixa feliz, sem depender de outra pessoa para iniciar qualquer objetivo. Não de deixe dominar pela inércia.

Planeje-se: Se quer algo, trabalhe nisso desde o começo.

Liberte-se: Enxergue-se com os próprios olhos, não tente fazer isso através dos olhares alheios. Pensar mal de si mesmo não significa que os outros o verão da mesma forma.

Top