Aneurisma – O que é, tratamento

O aneurisma é uma dilatação que pode acontecer na parede do vaso sanguíneo, devido à perda de elasticidade da parede, podendo levar a uma…

O aneurisma pode levar a sérias complicações

O aneurisma é uma dilatação que pode acontecer na parede do vaso sanguíneo, devido à perda de elasticidade da parede, podendo levar a uma ruptura desta. Ele pode ser inflamatório, traumático, congênito ou degenerativo, e mais frequentemente acontece na aorta e nos vasos sanguíneos do cérebro.

Quando esta dilatação do vaso ganha uma forma esférica, ela é conhecida como aneurisma sacular ou saciforme. Já quando ela se apresenta de forma alongada, no eixo principal do vaso, é chamada de aneurisma fusiforme.

Os aneurismas podem ter tamanhos variados, indo de poucos milímetros a alguns centímetros. A gravidade varia conforme o tamanho, assim como a probabilidade de ruptura, além do local acometido.

O grande perigo desta patologia é quando acontece o rompimento, situação na qual o paciente deve ser levado com urgência ao hospital. Se for um aneurisma cerebral, pode acarretar em um acidente vascular cerebral, enquanto nos casos de aneurisma da aorta, que é mais comum nos homens, pode haver embolia arterial e trombose aguda, entre outras complicações.

Fatores de risco

O cigarro é um dos fatores de risco para o aneurisma

Alguns dos fatores de risco para o surgimento do aneurisma são:

– Histórico familiar (possuir algum parente que tenha sido acometido pelo aneurisma)

– Obesidade

– Idade avançada

– Fumo

– Colesterol alto e arteriosclerose

– Hipertensão

– Diabetes

Sintomas

Normalmente, o aneurisma é assintomático, exceto nos casos em que o crescimento dele é bastante rápido, causando dor intensa no peito, agitação e hipotensão. Quando começam as complicações, geralmente no rompimento dos vasos, a pessoa acometida pode sentir uma forte dor de cabeça, além da perda da consciência, vômito e perdas progressivas na visão. Outros sintomas comuns são hemorragia interna e convulsões.

Leia Também:  Emagrecedores proibidos pela Anvisa

Se o aneurisma for arterial abdominal e já estiver bastante volumoso, o médico poderá identificá-lo apalpando a região do abdome e procurando por uma pulsação intensa, como se houvesse um “coração na barriga”.

Tratamento

Nos casos mais graves, a intervenção cirúrgica é necessária

Antes do rompimento, os aneurismas podem ser identificados através de exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética, angiografia cerebral, ultrassonografia e radiografia do abdome.

Os métodos para combater o aneurisma têm evoluído bastante, e atualmente existem algumas formas de tratamento, que variam conforme o quadro do paciente. Dentre elas, se destacam os tratamentos:

– Clínico

Consiste no acompanhamento do tamanho do aneurisma e no controle dos fatores de risco. É utilizado quando o aneurisma é pequeno, e caso ele aumente muito o seu tamanho, o paciente deve passar por cirurgia.

– Cirúrgico

Consiste na exclusão do segmento do vaso sanguíneo afetado, que é substituído por uma ponte artificial, de tecido sintético. No aneurisma cerebral, pode ser colocado um clipe metálico entre o local do aneurisma e o vaso normal, evitando o fluxo de sangue para a veia afetada.

Endovascular

Esta técnica é baseada na introdução de um pequeno cateter através da artéria femoral, que fica na virilha, que auxilia na exclusão circulatória do saco aneurismático.

Top