A banda larga brasileira deve se igualar a dos países desenvolvidos até 2014

Fonte: Marcelo Camargo / Folhapress Em uma entrevista para o G1, o Ministro das Comunicações Paulo Bernardo declarou que o preço e a qualidade…

Por Redacao em 30/10/2011

Fonte: Marcelo Camargo / Folhapress

Em uma entrevista para o G1, o Ministro das Comunicações Paulo Bernardo declarou que o preço e a qualidade da banda larga nacional não estão tão defasados. A implementação do PNBL tem tido bons resultados e o país está demorando cada vez menos para igualar a tecnologia adotada em outros países. Segundo o ministro, até 2014 o Brasil deve seguir o mesmo padrão de qualidade oferecido pelos países desenvolvidos.

“A Itália e a França licitaram celular de quarta geração agora, setembro, outubro. Nós vamos fazer em abril do ano que vem.” – afirmou Bernardo na entrevista ao G1. Isso se torna mais evidente se olharmos um pouco para trás, quando as primeiras gerações de celulares só chegavam ao país quando já estavam caindo em desuso nos Estados Unidos e Europa. Agora, com apenas alguns meses de atraso, o brasileiro poderá acompanhar as tendências tecnológicas da área.

Paulo Bernardo falou ainda que está tentando promover uma melhoria na internet nacional. Está em discussão com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), um novo plano de metas. Atualmente, o contrato com muitas operadoras assegura apenas 10% da banda contratada. Ou seja, a sua internet de 2 Mbps pode cair para 200 Kbps sem qualquer motivo plausível.

E o Plano Nacional de Banda Larga?

O ministro falou ainda que o PNBL tem tido uma procura muito grande e que isso tem dificultado a sua implementação em novas regiões. O plano entrou em vigor no dia 1º de outubro de 2011 e oferece planos de internet livres de assinaturas complementares por até R$ 35. Até 2014, ele deve se expandir para todas as cidades do Brasil.

Top