Provedores cobram de acordo com o uso da internet

A matemática é simples: quanto mais utilizarem sua banda larga, mais terão de pagar pela assinatura mensal. Este é o plano que provedores de…

Fonte da imagem: Wikimedia commons

A matemática é simples: quanto mais utilizarem sua banda larga, mais terão de pagar pela assinatura mensal. Este é o plano que provedores de banda larga dos Estados Unidos começam a implementar já em 2012. Mas qual será a causa de tal medida já que os planos de acesso liberado são tão comuns em todo o mundo?

A resposta está nas TVs sob demanda, como o Netflix, e em seu crescimento. Não que isso esteja representando problemas para a internet, mas está começando a afetar o mercado de TVs por assinatura tradicionais. Podendo pagar muito menos por um serviço de qualidade pela internet, diversos clientes estão optando por cancelar o seu plano com as TVs por assinatura.

O ponto é que, normalmente  as mesmas empresas que fornecem os serviços de banda larga são aquelas que oferecem TV por assinatura. Como os serviços de vídeo sob demanda já ocupam cerca de 30% da banda total dos Estados Unidos, cobrar proporcionalmente pela quantidade de dados baixados valorizaria de certa forma os serviços de TV por assinatura.

E no Brasil?

No Brasil, já chegou o primeiro serviço de programação sob demanda: o Netflix. Com Mensalidades a partir de R$ 15, o usuário pode assistir aos programas que deseja na hora em que quiser tanto na TV quanto no computador.

Esperamos que a medida dos provedores de banda larga de aumentar a cobrança de acordo com a quantidade de dados baixados não se torne uma tendência mundial.

Top