Penhorar joias: como fazer

Em momentos em que o dinheiro faz falta, pensamos em diversas opções para conseguir resolver o problema e garantir a quantia necessária, e normalmente,…

Como fazer penhora de joias?

Em momentos em que o dinheiro faz falta, pensamos em diversas opções para conseguir resolver o problema e garantir a quantia necessária, e normalmente, a primeira ideia que nos passa pela cabeça são os empréstimos bancários.

Apesar de não ser uma ideia ruim, os empréstimos pessoais e cheques especiais, normalmente possuem uma taxa de juros um pouco alta, o que acaba prolongando a dívida e podendo acarretar em um novo problema econômico no futuro, sendo que as taxas de juros podem dificultar o pagamento do valor. Para fugir deste tipo de empréstimo, existem as penhoras de bens que não são muito conhecidas pelo público, mas valem a pena.

A penhora de joias é uma maneira bem fácil e simples para levantar um empréstimo bancário com juros baixo. Nesta modalidade de financiamento, a pessoa retira o valor necessário do banco, mas deixa alguns pertences de valor como garantia do pagamento, além de fazer um contrato com taxas de juros bem mais modestas do que as que são aplicadas normalmente.

CAIXA possui uma das melhores taxas para penhora de bens valiosos.

A CAIXA é um dos locais mais confiáveis para este tipo de transação e aceita o penhor de joias, pedras lapidadas, relógios, canetas e pratarias que possuem um valor significativo, além de pérolas e metais nobres, tudo realizado de maneira bem rápida, sem a necessidade de analise de cadastro, consulta ao Serasa e avalista. Os prazos de pagamento também são negociáveis, já que inicialmente são acordados em até 180 dias, cerca de seis meses, que podem ser renegociados e renovados.

– Como Fazer?

Para realizar a operação, basta comparecer em uma agência da CAIXA que trabalhe com penhor e conversar com o atendente para sanar todas as dúvidas. Em seguida é necessário entregar toda a documentação solicitada como documento de identidade, CPF, comprovante de residência, além dos bem que serão penhorados, sendo que o valor entregue pelo banco corresponde a 85% do bem que foi entregue.

Entre os bens aceitos para penhora estão joias, pedras lapidadas, relógios, canetas e pratarias, que possuem um valor significativo, pérolas e metais nobres.

Após a formalização da penhora, o crédito é liberado imediatamente e o cliente pode usar o valor como bem entender, sem o intermédio da agência bancária.

Leia Também:  Melhores lugares para se morar

A CAIXA só não realiza empréstimos por procuração, exceto em casos de analfabetos. Neste caso, os analfabetos e portadores de deficiência impedidos de ler ou escrever, podem tomar o empréstimo de acordo com um instrumento de mandato público, no qual é possível firmar o compromisso e fechar o acordo para penhorar o bem.

Top