Os perigos das compras em liquidação

Basta as lojas se adornarem com as tarjas vermelhas de descontos que se instala o corre-corre para deixar a conta bancária da mesma cor.…

Por Editorial MDT em 23/02/2012

Cuidado com as liquidações.

Basta as lojas se adornarem com as tarjas vermelhas de descontos que se instala o corre-corre para deixar a conta bancária da mesma cor. Controlar os impulsos nem sempre é fácil. O juízo se perde na temporada de descontos. A vontade de consumir é tanta que, se a roupa está apertada, compramos porque vai ceder; ou quando está larga, nos convencemos de que, em duas vezes que for lavada, ela encolhe. O número dos pés, por sua vez, é flexível ao último sapato do estoque. Tudo isso acaba gerando guarda-roupa abarrotado de peças que você irá abandonar mais tarde.

Impulsos consumistas nessas épocas de preços baixos podem ser os principais vilões de gastos desnecessários, tudo porque no ato da compra os consumidores não procuram entender a fundo todos os gastos que podem estar envolvidos na aquisição do produto.

Avaliando o preço das liquidações

Quem quer comprar deve estar atento e adquirir somente itens realmente necessários, que estejam dentro de seu orçamento, por preços justos, e que correspondam à oferta ou à publicidade. É importante avaliar se realmente a oferta da queima de estoque vale à pena, pois alguns anúncios chegam a apontar produtos com descontos de até 80%, porém é preciso calcular se o abatimento não é sobre preços inflados. Ter paciência é fundamental, porque normalmente milhares de pessoas também vão querer aproveitar as liquidações e é provável que você encontre filas gigantescas e lojas super lotadas. Será preciso disposição também para carregar os produtos, pois na maioria das lojas, as entregas em domicilio não são feitas para os produtos em liquidação.

Preste atenção na qualidade do produto que está comprando em liquidação.

Pesquise preços nas liquidações

Faça pesquisa de preço para verificar se não se trata de “falsa liquidação”, acontece com mais frequência do que se pode imaginar. Na vitrine tudo induz a acreditar em produtos e preços ótimos, mas ao entrar na loja o consumidor pode, às vezes, perceber que não é bem assim. Pesquise os preços em vários estabelecimentos e defina, em casa, o que deve ser comprado. Reveja os anúncios em jornais, rádios, TV ou internet que deverão ser guardados, esse material publicitário poderá auxiliar numa eventual reclamação contra a empresa, caso não haja o cumprimento da oferta.

Estado dos produtos na liquidação

Tenha cuidado redobrado com o estado das mercadorias, principalmente aquelas em exposição. Lembre-se que não poderá trocar, por isso, confira se não há defeitos que comprometam a utilização. Em caso de produtos com pequenos defeitos você deve exigir que a loja coloque na nota fiscal os problemas apresentados, detalhando-os. O prazo para reclamar desses defeitos é de 30 dias para produtos não duráveis (alimentos e bebidas) e 90 dias para produtos duráveis (roupa, carro, eletrodoméstico). Caso esses prazos não sejam cumpridos você adquire o direito de receber o seu dinheiro de volta.

Nem sempre o desconto é tão bom quanto parece.

O impulso consumista é um velho conhecido nosso. Com as etiquetas reluzindo descontos altos e as facilidades de pagamento, fica ainda mais difícil resistir. Aproveite as liquidações  e fique atento as essas dicas, se for possível tente prever os custos o quanto antes e já reserve as quantias para cada conta. Assim, você saberá quanto de dinheiro está “sobrando” para aproveitar as liquidações e não ficar no vermelho.

Top