O Organismo Pode ser Influenciado Pela Música?

Segundo pesquisas, o fluxo do sangue e as taxas respiratórias podem ser sincronizados com música, e suas variações podem influenciar no corpo humano, relaxando…

Segundo pesquisas, o fluxo do sangue e as taxas respiratórias podem ser sincronizados com música, e suas variações podem influenciar no corpo humano, relaxando ou excitando.

De acordo com análises realizadas os especialistas afirmam que a música pode induzir mudanças no sistema cardiovascular. A afirmação é a de que não é apenas a emoção que cria as mudanças cardiovasculares, mas este estudo sugere que também o oposto pode ser possível, que as mudanças cardiovasculares podem ser a base para as emoções, de forma bidirecional.

O estudo publicado no Jornal of the American Heart Association foi realizado com 24 participantes, sendo 12 cantores experientes e 12 pessoas que não possuíam qualquer treinamento musical. Além disso, todas as pessoas tinham idades e educações parecidas, uma vez que a diferenciação desses fatores poderia gerar respostas diferentes.

Cinco faixas de música clássica e dois minutos de silêncio foram apresentados às pessoas, que estavam sendo analisadas com eletrocardiogramas e monitores para que fossem medidos itens como pressão do sangue, fluxo arterial cerebral e respiratório e estreitamento dos vasos sanguíneos na pele.

Os resultados foram interessantes. Os pesquisadores da Universidade Pavia descobriram que conforme acontecia o processo, ou seja, um aumento gradual do volume e intensidade nas músicas, os vasos sanguíneos das pessoas se estreitavam, a pressão sanguínea subia, os batimentos cardíacos ganhavam velocidade e amplitude da respiração aumentava.

Em cada faixa de música a porção do efeito foi proporcional à mudança no perfil musical. Quando aconteciam os decrescendos ou as pausas de dois minutos em silêncio, o corpo das pessoas relaxava e todos os índices que haviam crescido, diminuíam.

Juntamente com as respostas do corpo aos crescendos e decrescendos, certas frases rítmicas musicais pareciam em simultâneo ritmo do coração. Essas frases, vindas de duas peças, tinham 10 segundos cada, tempo similar ao padrão de oscilação na pressão sanguínea. Essas respostas do coração não estavam relacionadas à emoção e tampouco precisaram de qualquer mudança na respiração para acontecer.
De acordo com o site TG Daily, vários outros estudos relacionados à música já foram feitos e mostram que ela pode diminuir o estresse, aumentar a performance atlética de uma pessoa e aumentar as habilidades motoras de pacientes com problemas neurológicos.

Dessa forma, seria importante que todos ouvissem músicas para melhorar o corpo e a mente!

Top