Metrô de São Paulo opera parcialmente devido a greve

Teve início a 0h dessa quarta-feira, 23 de maio, a greve dos metroviários que fazem as linhas 1-azul, 2-verde e 3-vermelha do metrô de…

Por Élida Santos em 23/05/2012

O Metrô precisa ser reestruturado (Foto: Divulgação)

Teve início a 0h dessa quarta-feira, 23 de maio, a greve dos metroviários que fazem as linhas 1-azul, 2-verde e 3-vermelha do metrô de São Paulo. Nesse momento, operam parcialmente as seguintes linhas: 5-lilás e 4-amarela. De acordo com o Metrô, a linha 1-azul atua entre as estações Ana Rosa e Luz, a linha 2-verde opera entre a Ana Rosa e Clínicas, e a linha 3-vermelha funciona entre as estações Bresser-Mooca e Santa Cecília.

Os serviços nesses trechos começaram com atraso em virtude da paralisação. Alguns funcionários não aderiram a greve e são eles que estão realizando os serviços de transporte via metrô. O motivo que levou aos metroviárias e chegarem nessa ponto extremo foi uma audiência, que aconteceu com a medição da Justiça do Trabalho. De acordo com o sindicato da categoria, cerca de 2 mil pessoas votaram a favor da greve.

O Metrô ofereceu aumento real de 1,5% e 4,15% de correção, enquanto os funcionários querem 5,37% de correção e 14,99% de aumento real.

 

O Metrô está em greve (Foto: Divulgação)

Depois da audiência no TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região), a desembargadora Anélia Li Chum determinou que os colaboradores devem manter 100% do efetivo nos horários de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h) e 85% nos demais horários. O sindicato disse que a decisão não será cumprida e nesse caso, a instituição terá que pagar multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento.

Leia também: Japão inaugura a maior torre de comunicação do mundo

O Metrô em São Paulo tem mais usuário do que suporta (Foto: Divulgação)

Quem também está enfrentando problemas com o transporte hoje são os usuários das linhas 11-coral e 12-safira da CPTM. Os funcionários que operam essa parcela do serviço que liga São Paulo a cidades da região metropolitana, reivindicam reajuste salarial superiores a 6,17% (que o oferecido pela CPTM), além de aumento no vale refeição, entre outras melhorias para o trabalhador.

Para tentar amenizar os efeitos da paralisação, a SPTrans acionou o Paese, com ônibus extras para atender aos passageiros dessas linhas. Para auxiliar a linha 1-coral há 30 ônibus operando entre as estações Brás e Guaianases. Já na linha 12-safira, há 30 ônibus entre o Brás e o Itaim Paulista. Os funcionários das linhas 8-diamante e 9-esmeralda, também da CPTM, decidiram entrar em estado de greve, ou seja, a partir de hoje eles usarão coletes e distribuirão material informativo sobre a possibilidade de greve.

Top