Meninas sentem mais raiva e tristeza do que meninos quando em conflitos entre amigos

Segundo um estudo realizado na Universidade de Duke, nos Estados Unidos, e publicado na revista Child Development, garotas entre 9 e 11 anos, (pré-adolescência)…

Por Editorial MDT em 28/11/2011

(Imagem: Foto divulgação)

Segundo um estudo realizado na Universidade de Duke, nos Estados Unidos, e publicado na revista Child Development, garotas entre 9 e 11 anos, (pré-adolescência) sentem mais raiva e tristeza que meninos da mesma idade quando encaram desilusões originadas por amigos.

Os especialistas divulgaram 16 situações fictícias para 267 crianças entre 9 e 11 anos de idade. As histórias expunham situações em que um amigos furtavam alguma perspectiva, como: não se importar com a doença do animal de estimação do outro ou não cumprir obrigação imposta pelo professor.

Os pequenos disseram então como se sentiram se cada uma das ocorrências acontecesse com elas, como elas  explicariam o comportamento do amigo e o que fariam a respeito.

Os resultados apontaram que as garotas ficariam mais decepcionadas. Elas interpretaram negativamente os comportamentos dos amigos e expuseram mais raiva e tristeza do que os meninos. Por outro lado, as garotas seriam tão invasivas e vingativas quanto eles em casos de rompimento de confiança e amizades.

A análise também mostrou que a tristeza poderia servir para instigar o desejo de tentar solucionar o problema e preservar a amizade. Para os pesquisadores, a tristeza também funciona como uma ‘cola social’ dos relacionamentos, entusiasmando os amigos a superar os conflitos. O estudo possui decorrências na forma como os educadores tentam auxiliar crianças a criar relacionamentos saudáveis.

Top