Felipo Bellini 11/01/2022 Notícias

As tecnologias de Low-Code e No-Code são mais um dos avanços na área de TI. Elas são capazes de propor uma eliminação ou diminuição na quantidade de códigos que são necessários para que programas sejam desenvolvidos. Ou seja, eles substituem os métodos conhecidos por uma metodologia mais rápida na criação de aplicativos e plataformas visuais. 

Essa tecnologia prevê muito mais agilidade e eficiência nos setores de criação, deste modo, é possível fazer com que a produção aumente.

O que é o No-Code?

Para quem não está familiarizado com a linguagem da programação ou pretende fugir das metodologias tradicionais, o no-code pode ser uma ótima opção. Para desenvolver um aplicativo, todas as ferramentas necessárias estarão em uma plataforma de no-code.

Low-Code e No-Code O que são

Fonte/Reprodução: original

Todas as plataformas de no-code são parecidas com os programas utilizados para criação de blogs e sites que várias empresas já fazem uso. Os recursos dessas plataformas são bem simplificados e com temas completos para o uso.

Mesmo com o benefício da criação de sites de forma rápida, o No-code é bastante limitado em questão de personalização. Esse fato pode acarretar problemas para acompanhar as tendências e transformações no mercado digital.

O que é o Low-Code?

Conforme o nome já diz, o Low-Code é um método de desenvolvimento de sistemas com pouco código. Por isso a utilização do Low-Code é algo bastante ágil. 

Uma plataforma destinada ao low-code envolve uma diversidade de funções que completam todos os processos que os desenvolvedores necessitam. É bem similar ao ambiente de desenvolvimento integrado (IDE).

Basicamente, o low-code é de fato um método onde é possível arrastar e soltar blocos com códigos visuais de cada projeto. Assim, pode-se criar uma diversidade de aplicativos e softwares

Uma plataforma de low-code pode ser substituta de metodologias tradicionais para codificação manual. Ela permite que um aplicativo seja criado desde o início por programadores com um tempo menor que o de costume. Ela exclui toda forma de codificação repetitiva que os processos tradicionais incluem. 

Como cada um deles funciona?

O Low-Code e No-Code tem como principal diferença a interface do usuário, porém não é possível realizar uma comparação para saber qual delas é melhor que a outra. Para descobrir qual delas é mais adequada para determinado serviço, é necessário trabalhar com ambas. 

A plataforma Low-Code, por exemplo, consegue criar sistemas um pouco mais sofisticados do que no no-code. A low-code é estruturada através de uma codificação mínima e com o descarte do uso de programadores. Muitos usuários ainda leigos no assunto podem conseguir realizar a criação de aplicativos e softwares.

Como principais recursos disponíveis na plataforma Low-Code, podemos citar: Modelagem visual, interfaces com método de soltar e arrastar e a segurança para que sejam feitos softwares corporativos de maneira escalável. 

Já o No-code não é necessário fornecer códigos de programação, ao invés de realizar a criação com o código, basta colar os componentes e partes que uma construção de aplicativo necessita. Algumas plataformas disponibilizam uma área para adicionar códigos de forma opcional e assim conseguir personalizar um pouco mais. O método no-code pode ser utilizado até pessoas que não tiveram o mínimo contato com a linguagem da programação. 

Outros artigos

Chip Nextel – Preço e Onde Comprar

09/07/2011

Chip Nextel – Preço e Onde Comprar

Com a portabilidade implantada no país, tudo ficou mais fácil. Celulares desbloqueados, a possibilidade de usar dois chips num mesmo aparelho, Trocar de operadora qu...