Homens solteiros passam mais tempo assistindo televisão, diz estudo

Homens adultos descompromissados que moram sozinhos tendem a passar mais tempo sentados em frente a televisão aos finais de semana do que os comprometidos.…

Por Editorial MDT em 21/03/2012

Além de acarretar dores nas costas e pescoço, aqueles que passam muito tempo sentados ainda podem sofrer com doenças cardíacas, pressão alta e diabetes.

Homens adultos descompromissados que moram sozinhos tendem a passar mais tempo sentados em frente a televisão aos finais de semana do que os comprometidos. Já as mulheres passam mais tempo realizando outras atividades, como lendo ou passeando. É o que revela um estudo conduzido pela Universidade de Queensland, na Austrália, divulgado na revista médica American Journal of Preventive Medicine.

Segundo os autores do estudo, indivíduos que passam muito tempo sentados estão sujeitados a problemas musculares e dores nas costas e no pescoço, além de detrimentos mais sérios a saúde, como pressão alta, doenças cardíacas e diabetes. Desse modo é necessário que os especialistas entendam quem são os indivíduos que possuem costumes sedentários e como fazer para modificar esse comportamento. De acordo com os pesquisadores, mesmo que uma pessoa pratique exercícios físicos, ficar sentado durante muito tempo compromete da mesma forma a sua saúde.

Pesquisa

Para chegar neste resultado, os pesquisadores deram um caderno de perguntas para 7.719 indivíduos entre 40 e 65 anos. Eles responderam a perguntas sobre costumes habituais, como por quantas horas assistem televisão e quais atividades de lazer que realizavam, tanto em dias da semana e nos dias de descanso.

De modo geral, foi notado que os homens descompromissados que moram sozinhos e indivíduos que não costumam realizar atividades físicas são aqueles que passam mais tempo sentados nos dias de folga.

Os indivíduos que ficam mais tempo assistindo televisão, segundo o estudo, são os homens descompromissados, os fumantes e aqueles com baixos níveis de escolaridade. E mais homens de 40 e 44 anos com nível superior de escolaridade, renda financeira regular e sobrepeso foram os que afirmaram permanecer maiores períodos sentados em frente ao computador. Mulheres e desempregados, todavia, foram aqueles que mais afirmaram realizar diferentes atividades enquanto estão sentados, como lendo, descansando ou conversando em alguma lanchonete por exemplo.

De acordo com os autores do estudo, a próxima tarefa será analisar as melhores alternativas para reduzir o tempo em que os indivíduos ficam sentados, alterando esses costumes inativos nos dias de folga por atividades que ordenem mais movimentos.

“Algumas pesquisas estão sugerindo que diminuir o tempo em que as pessoas permanecem sentadas é importante. Elas podem quebrar esse hábito em pequenas atitudes do dia-a-dia, como andar pela casa de tempos em tempos, durante os intervalos comerciais de televisão, por exemplo”, afirma Nicola Burton, uma das autoras do estudo.

Top