Extravio de bagagem: o que fazer

Você chega ao aeroporto pronto para pegar suas malas e ir para o hotel ou está voltando de uma viagem a trabalho e não…

Você chega ao aeroporto pronto para pegar suas malas e ir para o hotel ou está voltando de uma viagem a trabalho e não vê a hora de chegar em casa. Espera em frente à esteira, os passageiros que viajaram junto com você, pegam suas bagagens e vão embora. Você continua lá e percebe que houve algum problema. Se isso não for apenas um atraso habitual é provável que sua mala tenha se extraviado. O primeiro passo é reclamar junto à companhia aérea, embora o prazo para fazer isso seja de até quinze dias.

Segundo o Procon de São Paulo, órgão de defesa do consumidor, a cada ano as queixas de extravio de bagagens em aeroportos crescem 15%. Por isso, algumas atitudes são importantes para que você se resguarde. Se for levar itens de grande valor financeiro ou mesmo sentimental na viagem carregue na mala de mão, que ficará com você. Para os demais objetos, você pode fazer uma declaração dos bens de valor despachados para a empresa. Caso note, que sua mala chegou, mas está com algum defeito ou faltando itens faça uma queixa para a empresa. Essa reclamação pode ser feita em até sete dias para danos, mas é necessário apresentar uma prova. A empresa aérea é quem deve cuidar de suas malas do embarque ao desembarque. Por consequência é a primeira a ser procurada em caso de um problema. Se ele não for resolvido, o cliente pode reclamar também na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Atente-se ao fazer o check-in no aeroporto. Os funcionários fornecem um lacre para a mala. Anote o número impresso nele e o confira quando pegar sua bagagem de volta. Caso o número seja outro, é sinal de que ele foi violado e trocado.

Se a mala sumiu mesmo e não há meio de encontrá-la, você pode pedir uma indenização por danos morais ou materiais. Não se esqueça de guardar os comprovantes de despacho da mala e outros documentos, como notas de despesas extras.  Para que possa reivindicar a indenização, você deve procurar o Procon ou o Poder Judiciário.

Top