Diminui o número de empregos formais no Brasil

Dados do Ministério do Trabalho apontam que, no acumulado dos meses de janeiro a agosto, houve redução do ritmo de criação de empregos […]

Por Redacao em 21/09/2011

Dados do Ministério do Trabalho apontam que, no acumulado dos meses de janeiro a agosto, houve redução do ritmo de criação de empregos com carteira assinada no Brasil.

Nesse mês de agosto deste ano, o nosso país registrou a geração de 190 mil empregos formais, segundo o Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado esta semana pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Esse número ficou muito abaixo do registrado no mesmo período do ano passado, onde, foi registrada a criação de 299 mil empregos.

Nesse mês de agosto, mais de 1,5 milhões de pessoas tiveram sua mão de obra dispensada pelo mercado empregador e o total de admitidos foi de 1,8 milhões.

No mesmo período, no ano de 2010, foram criados 1,95 milhões de empregos formais, já no mesmo período desse ano, esse número baixou, somente foram gerados 1,82 milhões de novos empregos.

“Acho que vale dizer que o ritmo de geração de emprego, em 2010, foi muito forte, mas desacelerar em relação aquela base ainda mostra que o mercado de trabalho continua bastante dinâmico. Mas de fato é observada uma moderação, certa perda de ritmo na geração de postos de trabalho”, explica a economista da consultoria Tendências, Alessandra Ribeiro. “Fonte de dados g1.globo.com”

Com o novo ritmo imposto, o governo enxugou a meta de geração de novos empregos formais, inicialmente, a meta do ministério do trabalho para este ano era a criação de três milhões de novos empregos com carteira assinada, o que passou, a ser de 2,7 milhões.

Uma das áreas que mais sofrem com essa queda, é a indústria, pois, alem de ser atingida pelas medidas do governo para desacelerar a economia, ela sofre com a forte concorrência de produtos importados.

Top