Dicas Para Uma Boa Redação

Um dos fantasmas que assombram aqueles que prestarão concurso público é a redação. É bem verdade que escrever não é algo tão natural a todos, mas, independente do cargo ou função pretendida, uma boa comunicação – falada e, principalmente, escrita – é fundamental. E por isso a redação, muitas vezes, é fator de desempate em provas. Para que o candidato não chegue na hora H sem ter idéia do que fazer, aqui seguem algumas dicas. Contudo, já adiantando, a principal delas é a prática.

Faça um texto simples e claro. O corretor não está procurando o novo Machado de Assis e, sim, alguém que saiba se expressar de forma coerente, coesa e eficiente. Conheça bem a língua portuguesa. Afinal, é a sua língua. E para isso só há uma saída eficiente: leitura. Leia aquilo que gosta.

Ora, se é para ler, faça-o por prazer. Comece com textos curtos, para não desanimar, e de temas que lhe agradam. Gosta de esportes? Então se dedique a cadernos esportivos. Prefere literatura? Ótimo, escolha um bom livro. Você só lê aquilo que te faz rir? Encontre um livro de piadas ou de textos com humor. O importante é praticar, pois as palavras entrarão na sua cabeça sem você perceber.

Use palavras conhecidas. Não seja prolixo ou rebuscado. Se ficar na dúvida em como se escreve determinada palavra, troque, nem que para isso seja necessário reestruturar a frase. A possibilidade de erro é muito maior quando nos arriscamos em terrenos complicados. Além disso, feijão com arroz, além de matar a fome, também é gostoso.

Cuidado em como escreve. A maioria dos concursos não se preocupa mais se o candidato escreve com letra de forma ou cursiva. De qualquer forma, ler o edital antecipadamente evita um possível problema. O importante é ter atenção com a diferenciação de letras maiúsculas e minúsculas e deixar muito clara a separação entre as palavras.

Mantenha-se atento ao que acontece no mundo. As provas de redação são sempre relacionadas a assuntos do momento. Portanto, assista a jornais, ouça rádio, pesquise na internet e leia revistas e jornais. Escreva com mais frequência – um sedentário não sai correndo uma maratona no primeiro dia que decide fazer exercícios. Primeiro faz alongamento, anda, corre uma distância curta e vai aumentando gradativamente, até que possa percorrer longas distâncias. Portanto, escreva. Nem que seja uma vez por semana. E peça para alguém ler e corrigir, para te dar uma opinião. Ou, se puder, faça um curso de redação.

Evite “estrangeirismo”. Nada de feedback, fast food, approach, a não ser que  faça parte do pedido da prova ou que seja uma expressão técnica recorrente no curso ao qual você está concorrendo. Não fuja do assunto. Leia, com muita atenção, o que a prova pede. Às vezes nos atemos a uma palavra e não percebemos que toda a frase é que constrói o sentido.

“Internetês” nunca. Jamais, em hipótese alguma, escreva como você fala com seus amigos no MSN, Facebook, Orkut ou qualquer rede da internet. As redações de concurso devem ser feitas baseadas na norma culta da língua. A dica é evitar, mesmo que numa conversa informal no MSN, escrever demasiadamente assim. Como falamos anteriormente, a prática faz com que ajamos automaticamente – e assim é com a escrita.

Reply