Decoração Pet: Espaços Decorados Para Cães e Gatos

Nem sempre é possível manter uma harmonia entre a decoração da casa com a presença de animais de estimação. Em alguns casos os bichos…

Nem sempre é possível manter uma harmonia entre a decoração da casa com a presença de animais de estimação. Em alguns casos os bichos comprometem o visual do lar e destroem os elementos decorativos. Determinadas áreas residenciais decoradas acabam incomodando também os animais, principalmente no que diz respeito à falta de espaço.

Cães e gatos são grandes companheiros dentro do lar, mas é necessário adaptar a decoração a eles. Manter a casa em ordem é algo complicado quando se tem um animal de estimação, afinal, ele acaba ficando estressado com o confinamento e causa danos. Os prejuízos na decoração se tornam ainda mais evidentes em apartamentos pequenos.

O pet é mais um morador dentro do imóvel, por isso é preciso considerá-lo nas mudanças feitas na decoração. Avaliar o comportamento do animal representa um ponto importante para conseguir trabalhar em cima de uma determinada proposta. O projeto deve considerar a necessidade de conforto do pet, respeitar o seu espaço e ajustá-lo a rotina dos demais moradores.

Algumas adaptações na casa são fundamentais para que os cães e gatos se sintam a vontade e os proprietários não tenham grandes prejuízos. Confira a seguir sugestões de decoração para pets:

Revestimento apropriado: evitar pisos escorregadios é um fator essencial para não prejudicar os bichos. Quando os cães são confinados em ambientes com chão liso, a tendência é que eles desenvolvam problemas de articulação. O acabamento com verniz é um dos principais agravantes, então procure tomar muito cuidado com a textura do piso usado. O carpete é aconchegante para os cães, mas nem sempre representa a melhor opção para quem busca facilidades na limpeza.

Cuidados com o paisagismo: os elementos paisagistas são muito importantes na hora de decorar, mas requer cuidado para que eles não comprometam o animal de estimação. Em primeiro lugar algumas plantas devem ser evitadas, tais como copo-de-leite, bico-de-papagaio e comigo-ninguém-pode que são consideradas leitosas. Gatos apreciam erva-doce, lavanda, menta e hortelã. Já os cachorros se harmonizam com amora, goiaba e pitanga. As espécies permitidas podem contribuir com a aparência da área externa e não colocar a saúde do bicho em risco. O jardim quando bem decorado e dividido pode se transformar num espaço de brincadeiras ao ar livre.

Continuar Lendo  Tratamentos com laser no verão: cuidados

Materiais resistentes: cães e gatos costumam destruir móveis e acessórios de decoração quando convivem dentro de casa. Em decorrência disso é fundamental adotar materiais com resistência para decorar os cômodos. Os gatos, por exemplo, não resistem a uma cortina e acabam sempre danificando o tecido com as garras afiadas. Os estofados também são grandes vítimas dos animais de estimação e acabam não resistindo muito tempo com a presença dos pets. O uso de capas é a melhor forma de preservar sofás e poltronas.

O bicho ideal: antes de comprar um cão ou um gato, é recomendado conversar com o veterinário e obter informações sobre o comportamento do animal. Algumas raças de cães, por exemplo, não são compatíveis com apartamento e podem representar um verdadeiro furacão dentro da residência.

Necessidade de um espaço próprio: o animal de estimação precisa identificar o seu lugar dentro da residência, não dá para apenas prendê-lo na varanda ou em qualquer canto. Preservar a área do pet limpa é outro fator que merece atenção e influencia numa boa convivência.

A Educação do Pet: talvez um dos fatores mais importantes para que o gato ou cachorro respeite a decoração da casa. Ensiná-lo a lidar com as limitações é fundamental para o animal não sair fazendo necessidades pelos cômodos ou destruindo objetos.

Aproveite as dicas de espaços decorados para cães e gatos e inove o visual da casa na proporção certa.

 

Top