quinta-feira, 8 de dezembro de 2022 - 08/12/2022 17:03:32
MundodasTribos

Criar perfil falso na internet é crime? Essa é uma dúvida que intriga muitos internautas. Para esclarecer essa dúvida, leia a matéria e descubra se a criação de um fake pode ser encarada vai contra a legislação.

Se passar por outra pessoa na internet é crime. (Foto Ilustrativa)

Se passar por outra pessoa na internet é crime. (Foto Ilustrativa)

Muitas pessoas encaram a internet como um universo sem leis. Acham que podem fazer o que quiser e tudo ficará impune. Isso até podia ser uma realidade no início dos anos 2000, mas agora o cenário é outro. Já existe uma repartição da polícia criada especialmente para cuidar de casos de crimes digitais.

Na internet, as pessoas encontram ferramentas para assumir falsas identidades e, até mesmo, se passar por outra pessoa. Os famosos “fakes” aparecem no Facebook, WhatsApp, Twitter, Instagram, entre outras redes sociais. Os aplicativos de relacionamento, como Tinder, Wapa e Hornet também são usados para a criação de perfis falsos.

O que este artigo aborda:

Criar perfil falso na internet é crime?

Criar perfil falso na internet é crime? A resposta é sim! Quem usa uma rede social ou app de relacionamento para se passar por outra pessoa está cometendo um crime de Falsidade Ideológica.

A lei brasileira assegura que, em caso de Falsidade Ideológica, o usuário que fez o perfil fake pode pegar até 5 anos de reclusão. A pena é válida mesmo se a criação do falso perfil não prejudicar o nome utilizado. Se, por ventura, o perfil induzir alguém para obter uma vantagem ilícita, o caso pode se tornar ainda mais grave e ser julgado também como crime de estelionato (que também assegura 5 anos de cadeia).

Quem comete o crime de falsidade ideológica pega 5 anos de prisão. (Foto: Divulgação)

Quem comete o crime de falsidade ideológica pega 5 anos de prisão. (Foto: Divulgação)

É possível pedir indenização por causa de perfil fake?

A pessoa que comete o crime de falsidade ideológica pela internet pode ser obrigada a pagar uma indenização, mesmo se não houve a intenção de prejudicar o nome usado. O valor pode chegar a R$8 mil reais, dependendo do caso e da exposição.

Cuidados com as informações postadas na internet

Hoje em dia, é muito fácil uma pessoa criar um perfil fake pela internet. Basta consultar as redes sociais, salvar as fotos e ficar de olho em cada passo da vítima. De acordo com o Marco Civil da Internet, quem teve a “identidade roubada” tem o direito de entrar em contato com a plataforma digital e solicitar a remoção do conteúdo. Canais como Facebook e WhatsApp estão bem preparados para lidar com esse tipo de situação e oferecem ajuda se for necessário.

Como denunciar o crime virtual?

Colete as provas e faça uma denúncia. (Foto Ilustrativa)

Colete as provas e faça uma denúncia. (Foto Ilustrativa)

Em primeiro lugar é preciso coletar todas as provas possíveis. Imprima as conversas, faça prints do perfil fake e salve as mensagens de correio eletrônico. Lembre-se, ainda, de salvar as provas numa mídia que não pode ser modificada, como DVD ou CD. Vá ao cartório e faça uma declaração de fé pública. Depois, dirija-se a uma delegacia de crimes digitais e faça uma denúncia.

Criar um perfil fake, assumindo a identidade de outra pessoa, é uma conduta criminosa. Portanto, se você é uma vítima, procure a justiça e denuncie.

 

Este artigo foi útil?

Agradeçemos o seu feedback.

Isabella Moretti

Publicitária, pós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais. É também empresária e CEO & Founder do ViaCarreira

1

Pode ser do seu interesse

Aspirador de Pó Electrolux GT 3000 Preço, Onde Comprar

Aspirador de Pó Electrolux GT 3000 Preço, Onde Comprar

Cooktop Baratos – Preços, Onde Comprar

Cooktop Baratos – Preços, Onde Comprar

Maiores Iates do Mundo

Maiores Iates do Mundo

Concessão de visto de trabalho para estrangeiros: como funciona

Concessão de visto de trabalho para estrangeiros: como funciona

Diario de Pernambuco Online Classificados

Diario de Pernambuco Online Classificados

Jornal da Tarde Classificados

Jornal da Tarde Classificados