Conheça Kim Dotcom o fundador do Megaupload

Nesta quinta-feira (19), o mundo assistiu ao fechamento do maior site de compartilhamento de arquivos do planeta, o Megaupload, que contava com cerca de…

Kim Dotcom, dono e fundador do Megaupload é acusado por facilitação à pirataria e lavagem de dinheiro

Nesta quinta-feira (19), o mundo assistiu ao fechamento do maior site de compartilhamento de arquivos do planeta, o Megaupload, que contava com cerca de 50 milhões de acessos todos os dias, equivalente a 4% de toda a movimentação da internet mundial. O fechamento do site ocorreu por causa de uma ação promovida pela promotoria federal do estado da Virginia, EUA.

Porém, além do fechamento do site, seu dono e fundador, o alemão Kim “Dotcom” Schmitz, com outros seis membros da diretoria da empresa foram presos em operações realizadas em diversos países. O dono e fundador da empresa foi detido em sua mansão, localizada na Nova Zelândia, sob a acusação de violação de direitos autorais, facilitação à pirataria e lavagem de dinheiro.

Mas afinal quem é Kim “Dotcom” Schimitz?

Um Milionário extravagante

Megaworld, empresa à qual pertencem os serviços Megaupload, Megavideo e Megalife

Com apenas 37 anos de idade, Kim Dotcom é considerado uma das 10 pessoas mais ricas da nova Zelândia. Apaixonado por carros de luxo, mulheres e mansões, ele é considerado um milionário extravagante. Entusiasmado com mansões luxuosas, esta paixão o levou a tentar adquirir, sem sucesso, a casa de Coateville pelo modesto valor de 25 mi. Casa esta que por fim acabou alugando, em uma tentativa de se recuperar da frustração de  não poder compra-la, devido a impedimentos criados pela administração da Nova Zelândia. Conhecido por não se relacionar facilmente com estranhos, Kim Dotcom dificilmente saia de sua mansão nas proximidades de Auckland.

Antes de fundar o Megaupload, este alemão  foi dono de uma empresa de segurança informática, que vendeu pouco após o lançamento da tecnologia, começando a se envolver em negócios um pouco mais polêmicos, começando a fazer fortuna. Em 2005, antes de criar o serviço de compartilhamento de arquivos, Dotcom foi condenado pela justiça alemã por fraude, apropriação indébita e insider trading, que nada mais é do que a negociação de valores imobiliários com base em conhecimento privilegiado, que não se tornou de conhecimento público.

Leia Também:  Internação do cantor Luciano foi devida ao uso de diurético, segundo boletim

Após finalmente conseguir limpar seu nome, Schmitz começou a investir no desenvolvimento do site e dos serviços do Megaupload, passando a ser conhecido pelo gosto extravagante, principalmente por carros e mulheres.

Um gosto exagerado e estilo de vida luxuoso

Excêntrico, estravagante e egocêntrico, possui na garagem carros com a placa "GOD" - Deus -

Em uma amostra de seu estilo de vida extravagante e com gostos exagerados, este Réveillon, Dotcon deu de presente aos moradores de Auckland um espetáculo de fogos. Ele doou 500 mil dólares neozelandeses, o equivalente a aproximadamente 700 mil reais, para a compra de fogos de artificio que criariam um show de mais de dez minutos na virada do ano.

Em sua frota de carros de luxo, Dotcon coleciona automóveis raros, que vão desde um Rolls Royce conversível a um Cadillac de 1950 na cor rosa.

Apesar de não ter conseguido comprar sua desejada casa em Coateville, Kim Schmitz investiu cerca de 8 milhões na aquisição de bônus do Tesouro, além de, segundo dados da imprensa neozelandesa, doou uma quantidade indeterminada de dinheiro em auxílio aos afetados pelo terremoto que atingiu Chrtschurch em fevereiro de 2011.

Seu Grupo, o Megaworld é dono dos serviços Megaupload, Megavideo e Megalive, todos fechados nas ações da última quinta (19), cuja sede fica localizada em HongKong.

Sua carreira é repleta de controvérsias empresariais e problemas com a justiça. Dotcom teve sua prisão decretada pelo tribunal de Auckland e apesar de manter a posição de que não possui nada a esconder,  pode enfrentar uma pena de até 55 anos de prisão, caso a Nova Zelândia atenda aos pedidos de extradição feitos pela promotoria dos EUA e seja condenado pelos delitos do qual é acusado.

Leia Também:  Compras coletivas buffets de festa

Top