Cantor é investigado por polícia do Piauí

O cantor de pagode Belo volta a estar nas páginas policiais. A Polícia Civil do Piauí realizou abertura de um inquérito no último dia…

O cantor de pagode Belo volta a estar nas páginas policiais. A Polícia Civil do Piauí realizou abertura de um inquérito no último dia 20 de agosto, terça-feira, para investigar o cantor Marcelo Pires Vieira, o popular Belo. Além dele, mais sete pessoas estão sob investigação pela prática do crime de estelionato e formação de quadrilha no estado.

Belo está sob investigação da polícia do Piauí (Foto: Divulgação)

Belo está sob suspeita de formação de quadrilha e aplicação de golpe

Segundo informações reveladas pelo delegado Ademar da Silva Canabrava, do 12º Distrito Policial de Teresina, o grupo investigado por sua equipe é suspeito de aplicar um golpe na empresa Táxi Aéreo Poty. “Belo e sua equipe teriam fretado quatro aeronaves de pequeno porte para levá-los de Teresina para Recife, onde iriam fazer um show, e teriam pago o frete com três cheques no valor de R$ 29 mil cada, totalizando R$ 87 mil.  Segundo o dono da empresa, o cantor teria sustado todos os cheques antes que fossem efetuados os pagamentos para a empresa”, explicou o delegado.

Polícia do Rio de Janeiro deve ingressar nas investigações contra Belo e sua equipe

Canabrava disse ainda que a Polícia Civil do Rio de Janeiro foi comunicada sobre as investigações contra Belo e sua equipe. “Comunicamos o ocorrido para uma equipe do Rio de Janeiro para que ela possa nos ajudar nesse inquérito. Iremos ouvir todos os envolvidos e autuá-los por formação de quadrilha e estelionato, já que o pagamento não foi efetuado. O grupo é composto por oito pessoas incluindo o cantor”, explicou o delegado.

Cantor nega acusações (Foto: Divulgação)

Produtor de Belo diz desconhecer acusações

Eduardo Carbelli, que é produtor do cantor Belo, defendeu o pagodeiro, dizendo que ele não tem cheques e que não tem possui conhecimento do inquérito. Ele disse ainda que “essa situação deve ser um mal-entendido e que Belo jamais contratou serviços de empresa aérea no Piauí”.

Leia Também:  As polêmicas envolvendo Dhomini

 

O advogado Rubens Komniske, que faz representação da empresa Táxi Aéreo Poty, disse que assim que tudo aconteceu a empresa teria ainda falado com o assessor do cantor que, teria contratado os serviços, e reconhecido a dívida, mas agora ele nem atende mais nenhum representante da companhia.

Nota oficial da assessoria de imprensa de Belo

A assessoria de imprensa de Belo emitiu uma nota oficial que fala sobre o caso. Confira na integra:

“O cantor Marcelo Pires Vieira, nome artístico “Belo”, através de sua assessoria , vem a público, em razão das notícias publicadas sobre possível “golpe” aplicado pelo cantor na empresa de taxi aéreo Poty da Cidade de Teresina, esclarece que: o artista jamais esteve envolvido diretamente em qualquer negociação envolvendo a contratação de empresa aérea para deslocamento, não tendo, inclusive, repassado nenhum cheque em seu nome.

Outrossim, informa que, quem cuida de todos os preparativos do seu espetáculo, podendo exemplificar, desde o transporte, hospedagens, alimentação etc., é sua produção .

Realmente o cantor Belo deslocou-se em aeronaves da empresa de taxi aéreo Poty. É do conhecimento do Artista que o pagamento do deslocamento esta sendo realizado, sob a égide de uma confissão de divida.

O cantor também lamenta as declarações e divulgações em razão da inexistência dos fatos, admitindo-se, única e exclusivamente, se existiu, um desacordo comercial”.

Top