Menu

Saúde

Atualizado em 15 de dezembro de 2011, às 10:50
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Alimentos que causam enxaqueca

Alguns alimentos parecem estar relacionados ao aparecimento da enxaqueca. Confira algumas substâncias que podem desencadear o quadro de dor.
352570 342553 mdemulhe Alimentos que causam enxaquecaCrises de enxaqueca

O que é a enxaqueca?

A enxaqueca é uma dor de cabeça que ocorre de forma muito comum na população, principalmente em mulheres. A idade mais afetada é entre 25 e 45 anos, mas crianças também podem apresentar esse tipo de dor.

A cefaléia é normalmente do tipo latejante, afetando apenas uma metade da cabeça (unilateral), de intensidade de moderada a grave. Podem ocorrer, concomitantemente, náuseas, vômitos, fotofobia (aversão à luz) e fonofobia (aversão a sons).

Alimentos que podem gerar a enxaqueca

Não se sabe ao certo o que desencadeia a enxaqueca, mas alguns alimentos parecem estar relacionados ao seu aparecimento. Estudos demonstram que 20% dos casos de crises estão relacionadas a fatores nutricionais. Veja alguns alimentos que podem causar a dor:

1. Leite, queijos curados e ricota – por possuírem tiramina;

2. Bebidas a base de cola e outros alimentos industrializados – por possuírem fenilalanina;

3. Vinho, cerveja, bebidas alcoólicas em geral – por possuírem flavonóides enólicos;

4. Adoçantes, temperos industrializados e aditivos alimentares – por possuírem glutamato de sódio, aspartame e nitrato de sódio;

5. Café, chá preto, chá mate e chocolates – por possuírem cafeína;

6. Frutas cítricas;

7. Alimentos gordurosos como carne de porco, amendoim, nozes, entre outros.

Os alimentos que provocam enxaqueca estão relacionados a modificações no tônus muscular, gerando a crise de dor.

352570 mulher bebe copo coca 436 Alimentos que causam enxaquecaRefrigerantes podem desencadear quadros de enxaqueca

Como proceder em relação à alimentação para diminuir as crises?

A melhor maneira de diminuir consideravelmente as crises enxaquecosas é eliminando os alimentos que podem causar a dor. Porém, cada pessoa possui uma resistência diferente a cada alimento. É importante tentar identificar quais as substâncias que estão causando as crises e retirá-las da alimentação.

Uma forma de identificar qual alimento está levando ao aparecimento da enxaqueca é: Retire todos os alimentos suspeitos. Após alguns dias, vá reintroduzindo um a um separadamente. Dessa forma você identificará qual, ou quais, os alimentos responsáveis pelo problema.

Uma dica: dois alimentos que juntos melhoram as crises

Água de coco – Outra maneira de melhorar a crise de dor é a ingestão de água de coco. Ela hidrata e repõe os sais minerais, conseguindo ajudar no controle da enxaqueca.

Gengibre em pó – Essa substância diminui o processo inflamatório, ao inibir a produção de prostaglandinas, diminuindo a dor.

Prepare um copo de 200ml de água de coco e misture uma colher de chá de gengibre em pó. Beba a mistura. Após meia hora você poderá notar diferença na dor.

Outros fatores que levam a enxaqueca

1. Níveis elevados de lipídeos plasmáticos e ácidos graxos. Essas substâncias aumentam a agregação das plaquetas; diminuem os níveis de serotonina cerebral e aumentam as prostaglandinas. Por isso, são fatores de desencadeamento de enxaqueca;

2. Deficiencia de magnésio pode levar ao aparecimento da crise, principalmente no período menstrual;

3. Presença de Helicobacter Pylorum (detectado por endoscopia), também está relacionado ao aparecimento de crises enxaquecosas;

4. A hipoglicemia reativa pode desencadear quadros de dor.

Se você possui problemas com enxaqueca, procure um médico. Existem medicamentos capazes de ajudar na diminuição da dor e da frequência de ocorrência do problema. Juntando medicamentos e a alimentação sem substâncias que desencadeiam a dor, suas crises podem diminuir consideravelmente.

352570 gengibre 3 Alimentos que causam enxaquecaÁgua de coco e gengibre em pó - ótimos para diminuir a enxaqueca
A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.