Editorial MDT 20/12/2020 Saúde

O zumbido no ouvido é um problema muito comum.

A percepção de um som que não esta sendo gerado no ambiente acomete em torno de 278 milhões de pessoas (dados da Organização Mundial da Saúde- OMS). Atualmente no Brasil existem cerca de 28 milhões de pessoas que convivem com esse problema. Entretanto, existem tratamentos que envolvem até mesmo o uso de outros ruídos para competir com som característico do zumbido.

Principais causas

O zumbido no ouvido é também conhecido pela comunidade científica internacional como “tinnitus”. O sintoma nem sempre é originado por barulhos estridentes. Muitas doenças podem ser causadoras desse tipo de problema e várias causas podem se manifestar em uma única pessoa.

Quando causado devido ao excesso de barulho, esse zumbido ocorre a partir de uma lesão nas células da cóclea (no ouvido), proveniente de uma forte pressão no tímpano. Além disso, é um sintoma que varia de intensidade entre os pacientes, o barulho pode ser permanente ou temporário.

Segundo o professor, é provável que o trauma desapareça depois de alguns dias após o aparecimento do ruído, como também o paciente pode ter uma lesão crônica que pode durar o resto da sua vida.

Até mesmo crianças podem manifestar o problema.

O que fazer para tratar o zumbido 

1. Tranquilidade: grande parte dos pacientes diminui a percepção do zumbido com palavras confortantes que eliminam a suspeita de qualquer tumor na cabeça ou enlouquecimento;

2. Evitar ambientes barulhentos: os ambientes muito barulhentos devem ser evitados, pois o barulho aumenta o zumbido;

3. Evitar cafeína: a cafeína é estimulante e causa agitação, aumentando o zumbido. Dessa forma devem ser evitados café, chocolate, chá (preto e mate) e refrigerantes tipo cola que também contém cafeína;

4. Fumo e bebidas alcoólicas: devem ser evitados, pois são considerados fatores agravantes do zumbido;

5. Medicamentos que devem ser evitados: alguns medicamentos podem causar o zumbido, como por exemplo, a Aspirina e os anti-inflamatórios. Alguns pacientes ainda tomam outros tipos de medicamentos, o que dificulta para saber qual deles está causando o problema;

6. Alterações psicológicas: caso haja alguma alteração que seja relevante como a depressão e a ansiedade, o indicado é procurar ajuda de um psicólogo ou até mesmo de um psiquiatra para avaliar o caso;

7. Tratamento medicamentoso: não existe uma forma única de tratamento medicamentoso, cada caso é remediado de maneira diferente. Portanto o tratamento deve ser ideal para cada paciente;

8. Tratar a causa: tratar a causa é o mais indicado, neutralizando, suprimindo ou curando o causador do problema, melhorando o zumbido;

9. Terapia de habituação: trata-se de uma terapia comportamental, um novo treinamento das vias auditivas. Essa terapia tem como objetivo provocar o desaparecimento de reação ao som do zumbido e a perda de sentimentos negativos que estão associados a ele;

 10. Aparelho auditivo: o uso desse aparelho pode melhorar de forma significativa a tolerância do zumbido ao paciente.

Ficar sem zumbidos no ouvido é um alívio.

Existem várias causas e tipos de tratamentos para o zumbido, entretanto é indispensável adaptá-las a cada tipo de paciente. Consulte um otorrinolaringologista para maiores orientações. Procure as informações corretas e atualizadas. Isso pode ajudar a entender o zumbido e os problemas associados.

Outros artigos

Faculdade de Comunicação Social SP

04/07/2011

Faculdade de Comunicação Social SP

A história do ensino da Comunicação Social no Brasil, mais especificamente no que se refere ao Jornalismo, está completamente atrelada aos passos da Faculdade Cásper...

Onde comprar sapatos melissa mais baratos

27/02/2012

Onde comprar sapatos melissa mais baratos

A marca de sapatos Melissa  traz lançamentos e produtos que já são antigos e que já fazem parte do dia-a-dia de muitas consumidoras, mas que estão fazendo grande suc...