Wikileaks suspenderá divulgação de documentos temporariamente para arrecadar fundos

O WikiLeaks, site de divulgação de documentos confidenciais e sigilosos, deverá suspender temporariamente seus serviços. Tal atitude tem objetivo de arrecadar fundos para sua…

O WikiLeaks, site de divulgação de documentos confidenciais e sigilosos, deverá suspender temporariamente seus serviços. Tal atitude tem objetivo de arrecadar fundos para sua autosobrevivência no futuro.

Empresas que forneciam recursos a organização bloquearam seus fornecimentos e serviços de doação, entre elas estão a Bank of America, Visa, Mastercard, PayPal e Western Union.

O comunicado feito pelo criador do WikiLeaks, Julian Assange, em entrevista em Londres, disse que o site deve “arrecadar fundos agressivamente para lutar contra este bloqueio e seus responsáveis”.

As empresas financeiras nos EUA cortaram seus negócios com o WikiLeak logo depois que foram divulgados cerca de 250 mil documentos diplomáticos do Departamento de Estado americano, o que provocou indignação. Além desses, o site também colocou a disposição dos internautas outros documentos sobre as guerras do Iraque e do Afeganistão.

Julian Assange afirmou que “desde o dia 7 de dezembro de 2010, um bloqueio arbitrário e ilegal foi imposto pelo Bank of America, Visa, MasterCard, Paypal e Western Union”. Com isso “o ataque destruiu 95%” das receitas, segundo ele.

“Como resultado, o WikiLeaks tem funcionado com reservas em dinheiro nos últimos 11 meses. O bloqueio custou à organização dezenas de milhares de dólares em doações perdidas em um momento de custos operacionais sem precedentes.”, contou o australiano, quando questionado sobre a atual sobrevivência do site.

“(Diz-se que) o principal problema é financeiro e está relacionado com o embargo nos Estados Unidos. Felizmente temos um fluxo de caixa forte e sólido para sobreviver, o fazemos há 11 meses”, concluiu Assange.

Top