Visitas ao Museu do Ipiranga

E graças ao “grito” de independência proclamado por D. Pedro I em 1822, hoje temos o conhecido bairro do Ipiranga. O edifício que foi…

Por Redacao em 21/07/2011

E graças ao “grito de independência proclamado por D. Pedro I em 1822, hoje temos o conhecido bairro do Ipiranga. O edifício que foi construído em dez anos, e antes era um estabelecimento de ensino científico, mas um coronel paulista chamado Joaquim Sertório, facilitou a instalação do museu no local, e também solicitou que houvesse uma estátua para celebrar o tão famoso “grito”, e está instalado no que é chamado como Parque da Independência.

Para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer, é uma ótima pedida, afinal, visitas ao museu lembram o passado e são sempre muito emocionantes. Lá podemos apreciar relíquias, como canhões, e outras peças ligadas a época.  A visitação é aberta ao público de terça à domingo, no horário das 9:00h às 17:00h, e o valor cobrado de entrada é de R$4,00 para adultos, e R$2,00 para estudantes (mediante a apresentação de comprovante de estudos).

O museu do Ipiranga que hoje possui uma visitação considerada baixa e vem recebendo mais estudantes, tanto da capital como de outras cidades e estados para que possam apreciar não apenas as artes contidas nele, como também aproveitar a tranquilidade do Parque.

Há algum tempo, para estimular os jovens à visitação, eram realizados shows próximo a estátua, mas devido a má conservação e falta de bom comportamento, acabaram cancelando esta iniciativa. Então nos dias de hoje, podemos notar que a maioria das pessoas que são vistas lá são aquelas que trabalham ou estudam aos arredores, e gostam de ler, passear com animais, e correr como forma de atividade física.

Para aqueles que pretendem conhecer, podem esperar por um acervo de 125 mil artigos, entre objetos, esculturas, quadros, jóias, moedas, medalhas, móveis, documentos, utensílios de bandeirantes e índios. E a maior parte da coleção foi doada pelo Conselheiro Francisco de Paula Mayrink, juntamente com objetos de coleção Pessanha. Já com relação a organização das obras, ficou como incumbência de Albert Lofgren, que as realizou a mais de cem anos, mas que até hoje já sofreram diversas modificações e desmembramento devido as incorporações que surgiram ao longo do tempo.

Com relação a linda escadaria, há quem diga que vêm como representação do Rio Tietê, por ter sido o ponto de partida dos Bandeirantes rumo ao interior do país. Já no corrimão, foram colocadas esferas com águas dos rios desbravados pelos paulistas entre o século XVI e XVIII, como o Rio Paraná, Rio Paranapanema, Rio Uruguai e o Rio Amazonas.  Nas paredes são encontradas imagens de grandes heróis bandeirantes como o Borba Gato e Anhanguera, e ao centro é localizada uma estátua de D. Pedro I, considerado herói da Independência.

Enfim, para conhecer mais sobre a história, sobre as obras localizadas no museu e como e porque foi construído, é necessária uma pequena visita. Assim saberá mais sobre a linda cultura paulista, e apreciará belas imagens e objetos.

Top