Vinhos que fazem bem à saúde

Já é bastante conhecida por todos a afirmação de que o consumo moderado de vinho traz benefícios à saúde. Uma taça diária para mulheres e duas, no máximo, para os homens seriam suficientes para que o organismo absorva as substâncias benéficas, presentes na bebida. Mas será que qualquer tipo de vinho faz bem ao corpo humano? Todas as promessas de benefícios são, realmente, verdadeiras? Saiba quais são os vinhos que fazem bem à saúde.

Consumo moderado de vinho traria inúmeros benefícios à saúde(Foto: Divulgação)

Vinhos e seus benefícios

Segundo o que sabe, os polifenois, presentes na casca e nas sementes das uvas, são capazes de prevenir placas de gordura nas artérias, aumentar o colesterol bom e diminuir o ruim, além da ação antioxidante e antibiótica. Outra substância encontrada no vinho, o resveratrol, seria o responsável por diminuir a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue.

Consumidores moderados de vinho estariam protegidos contra males nas células cerebrais, como o Alzheimer, AVC e, ainda, a depressão.

Vale ressaltar que tais benefícios podem ser alcançados apenas com o consumo moderado do vinho. Além disso, pessoas que apresentam qualquer tipo de intolerância ao álcool ou a alguma substância presente nas uvas podem ser prejudicados pela bebida. Para os que preferem não consumir álcool, muitas substâncias do vinho também podem ser encontradas no suco de uva integral; mas há quem afirme que o organismo absorva melhor os polifenois, em presença do álcool.

Polifenois e resveratrol seriam as principais substâncias responsáveis pelos benefícios (Foto: Divulgação)

Polifenois existem em todos os vinhos. Entretanto, o vinho tinto tem cerca de 10 vezes mais polifenois do que o vinho branco. Portanto, se os amantes de vinho também querem fazer do consumo algo útil à saúde, é melhor tomarem vinhos tintos.

O outro lado da moeda

Estudos recentes, realizados na Universidade Queen Mary, em Londres, afirmam que a quantidade de resveratrol presente na maioria dos vinhos tintos é insignificante. Afirmam, também, que o segredo do vinho estaria nas sementes da uva e não na casca. Tais sementes liberam flavonoides, que evoluem para moléculas mais complexas, quando as uvas são fermentadas durante várias semanas ou mais. Acontece que a maioria dos vinhos não são fabricados com esta técnica. Portanto, os benefícios do vinho poderiam ser constatados com produtos de processos mais tradicionais, artesanais.

Dúvidas? Basta consumir, com moderação, o vinho (Foto: Divulgação)

Se, por um lado, novas pesquisas causam certa frustração aos amantes do vinho, por outro existe uma legião de apreciadores que, além de consumirem a bebida pelo simples prazer, também acreditam nos benefícios dela.

O ideal, é claro, é consumir vinho e outras bebidas, moderadamente; afinal, o álcool é um dos principais responsáveis pelo surgimento de vários tipos de câncer, além de outras doenças.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Reply