Viagens para o Camboja Roteiro, Dicas

O Camboja é um país localizado no sudeste asiático, tendo como vizinhos a Tailândia, o Laos e o Vietnam. Ele é banhado pelo rio…

O Camboja é um país localizado no sudeste asiático, tendo como vizinhos a Tailândia, o Laos e o Vietnam. Ele é banhado pelo rio Mekong, que fertiliza as suas terras tropicais. A sua história recente é sangrenta, pois o país ficou sob domínio da facção esquerdista  Khmer Vermelho, na década de 70, liderado por Pol Pot, que causou milhões de mortes de cambojanos.

Atualmente, livre da violência proporcionada por esse regime político, o Camboja tenta se reerguer, principalmente através do turismo. O Camboja é rico em cultura, pois preserva muitos templos antigos que contêm suas histórias, que ultrapassam 10 mil anos de idade. Ele esconde uma das maiores realizações da Humanidade na região de Angkor, na cidade de Siam Reap, ao oeste do Camboja. O maior reino do sudeste asiático desenvolveu-se nessa região dominada pelo rio Tonle Sap há mais 500 anos.

Esse reino era o Império Khmer, estruturado sobre uma base social definida, na qual o poder se concentrava nas mãos de homens poderosos, considerados divindades. Tais imperadores conseguiam mobilizar uma grande massa de homens para construírem templos em sua homenagem. Essa cidade também tinha um moderno sistema de canais para a irrigação das lavouras.

Imagens talhadas nas paredes, esculturas e relevos magníficos podem ser encontrados nas paredes, nos pátios e na superfície dos templos. São verdadeiras obras-de-arte e a maioria faz referência a dois importantes imperadores da época dourada do Império Khmer: Jayavarman e Suryavarman.

Com o declínio do Império Khmer, em 1431, os habitantes abandonaram a cidade, que foi engolida pelas árvores e plantas tropicais do país. Somente 500 anos depois, a cidade foi retirada das trevas pelos arqueólogos e a sua beleza foi revelada ao mundo.

Roteiro e Dicas de Viagem para o Camboja

Ao chegar ao aeroporto do país, a recepção dos turistas é feita por frios militares interessados apenas no dinheiro dos vistos, que custam 20 dólares. No entanto, tais militares geralmente tentam extorquir o visitante, cobrando 25 dólares pelo visto.

No entanto, ao chegar à capital, Phnom Penh, nota-se que o povo é bem amigável e simpático e as suas ruas são limpas e bem tratadas.

Os preços cambojanos não são caros, porém, também não são baratos. Os preços mais ouvidos nas ruas são 2 dólares. Quase tudo se resume a esse preço, e não tente pechinchar, pois os cambojanos não gostam desse costume. Se o vendedor ficar bravo, faça uma piada com ele que ele volta a sorrir.

Por ser uma cidade em construção, as ruas de Phnom Penh não possuem nomes e são conhecidas apenas por números ou apelidos. Os principais meios de transporte no país são os tuc-tucs, que transportam até três passageiros, ou as motocicletas.

Na cidade, há hotéis e pousadas simples ou luxuosas para todo o tipo de turistas, assim como inúmeros bares, lanchonetes e restaurantes. Basta caminhar pela “Rua dos Bares” para encontrar um bom lugar para comer.

As visitas aos vários campos de extermínio do Khmer Vermelho são comuns entre os turistas que gostam de vivenciar grandes tragédias. Eles ficam distantes da cidade, mas para quem gosta de história, vale a pena conhecê-los.

Em Siam Reap, localizam-se os grandes monumentos de Ankgor, e a área por onde se espalham os templos é muito grande. Por isso, é preciso alugar um tuc-tuc. Ao todo, o turista gasta 20 dólares para entrar em Ankgor mais 15 pelo tuc-tuc e 25 pelo guia. Para se ver todo o complexo com calma e cuidado, são necessários 3 dias. Por isso, combine com o motorista do tuc-tuc e tente um desconto pelos 3 dias.

O parque de Ankgor é bem preservado e as construções são magníficas, contendo muitos detalhes no acabamento, como relevos e esculturas. Durante esses 500 anos de esquecimento, os templos foram saqueados durante guerras, depredado por vândalos e por fanáticos hindus, que rasparam os rostos de alguns budas.

O Khmer Vermelho, durante o seu governo, destruiu mais de 3 mil templos cambojanos, mas felizmente deixaram o legado de Ankgor para as futuras gerações.

As viagens para o Camboja estão cada vez mais comuns por causa da beleza exótica proporcionada aos turistas, principalmente os ocidentais. O país surpreende pela sua história, pela simpatia e alegria do seu povo e pela grandiosidade dos seus monumentos. Vale a pena marcar uma viagem para conhecer esse país intrigante.

Top