Vencedores do Nobel de Medicina 2013

Vencedores do Nobel de Medicina 2013

O Instituto Karolinska de Estocolmo, na Suécia, anunciou os nomes dos vencedores do Nobel de Medicina 2013, prêmio entregue anualmente às pessoas que se…

Por Andre em 08/10/2013

O Instituto Karolinska de Estocolmo, na Suécia, anunciou os nomes dos vencedores do Nobel de Medicina 2013, prêmio entregue anualmente às pessoas que se destacam nas áreas de investigação de Medicina ou Fisiologia em todo o mundo.

Cerimônia de anúncio dos nomes dos vencedores do Nobel de Medicina 2013 (Foto: Divulgação)

Os ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina 2013 são os norte-americanos James E. Rothman e Randy W. Schekman, além do alemão Thomas C. Südhol, devido às descobertas deles sobre a regulação do transporte de vesículas, importante sistema celular, conforme a real academia de Ciências da Suécia.

Os três pesquisadores dividirão o prêmio de 8 milhões de coroas suecas, o equivalente a 925.000 euros, que dá em torno de R$ 2.770.000,00, pela cotação atual. A premiação acontecerá no dia 10 de dezembro, na capital da Suécia, na mesma cerimônia de entrega dos Prêmios Nobel de Física, Química, Literatura, Economia e da Paz.

O trabalho dos vencedores do Nobel de Medicina 2013

O Prêmio Nobel de Medicina é entregue anualmente às pessoas que se destacam nas áreas de investigação de Medicina ou Fisiologia (Foto: Divulgação)

De acordo com o Comitê do Nobel, os ganhadores do Nobel de Medicina 2013 estudaram o transporte de moléculas produzidas pelas células, descobrindo os mecanismos de funcionamento desse procedimento, que anteriormente eram um mistério.

Trabalhando em universidades dos Estados Unidos, os três cientistas realizaram descobertas que tiveram um grande e importante impacto na fisiologia celular, para a compreensão de como as moléculas são colocadas dentro e fora da célula, no momento adequado.

Os trabalhos realizados por eles, publicados entre a segunda metade da década de 1970 e o início dos anos 1990, puderam ajudar a compreender melhor o diabetes, as desordens imunológicas e algumas doenças neurológicas, que são causadas por distúrbios nesse sistema de transporte das moléculas.

Outros detalhes sobre os ganhadores do prêmio

Da esquerda para a direita: Randy Schekman, Thomas Südhof e James Rothman (Foto: Divulgação)

Nascido em 1950 nos Estados Unidos, James Rothman trabalha na Universidade Yale, onde atualmente é professor. Ele identificou um complexo de proteínas que permite às vesículas se fundirem com as suas cargas, dando início ao transporte delas.

Randy Schekman, também nascido nos EUA, em 1948, fez seus trabalhos na Universidade da Califórnia, em Berkeley. Em suas pesquisas, ele descobriu um importante conjunto de genes, que são os responsáveis pelas proteínas que regulam o transporte vesicular.

Por sua vez, Thomas Südhof, de origem alemã e nascido em 1955, que trabalha na Universidade de Stanford, foi o responsável por descobrir o funcionamento dos sinais que instruem as vesículas a soltarem suas cargas com grande precisão e no momento certo.

Top