Vasco atropela o Aurora e passa para as quartas de final da Sul-Americana

Em um jogo de onze gols, o Vasco contou com Alecsandro e Bernardo, em uma noite inspirada, para golear o Aurora por 8 a…

Com dois gols, Alecsandro passou de vilão a herói vascaíno em São Januário

Em um jogo de onze gols, o Vasco contou com Alecsandro e Bernardo, em uma noite inspirada, para golear o Aurora por 8 a 3 e garantir a classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana.

No primeiro tempo, Alecsandro ignorou as vaias dos torcedores, depois de colaborar para o gol do Aurora, marcou duas vezes e ajudou o trem bala da colina a ficar em vantagem no placar. Bernardo, com dois lindos gols, teve uma atuação destacada e consolidou a goleada vascaína. Leandro, Juninho e Douglas, também, marcaram um gol cada no passeio em São Januário. Adaveris, Peña e Segovia foram os goleadores bolivianos da noite.

Agora, o Vasco enfrenta o Universitário, do Peru, nas quartas de final.

Vascão na frente!

Com a necessidade de fazer gols, o Vasco da Gama começou a partida disposto a atacar o Aurora. Diante da diferença técnica das duas equipes, os bolivianos abusavam do direito de cometer faltas. E foi justamente na bola parada que o Vasco criou a primeira chance. Aos cinco minutos, Juninho cobrou falta na área e Bernardo cabeceou para fora.

A pressão vascaína surtiu efeito aos oito minutos, com um golaço de Bernardo. O meia dominou na entrada da área, colocou a bola no meio das pernas de Peña, fintou mais um zagueiro com um lindo giro sobre a bola e encheu o pé para o fundo do gol.

Apesar da superioridade do Vasco no gramado, aos 15 minutos, o destino pregou uma peça na equipe carioca. Juninho deixou Alecsandro na cara do goleiro, mas o atacante demorou a finalizar e perdeu gol feito. Na sequencia, veio o castigo. O Aurora armou um rápido contra-ataque e empatou. A bola chegou em Adaveris, que na dividida com o zagueiro vascaíno mandou a bola para o gol: 1 a 1. Depois do lance, a torcida vascaína vaiou o atacante Alecsandro.

Leia Também:  Em casa, Brasil faz a final do Superclássico contra a Argentina

Alecsandro: de vilão a herói

Aos 35, o Vasco quase marcou o segundo. A bola foi levantada na área, Alecsandro cabeceou e acertou o travessão. Um minuto depois, Galindo fez falta dura, recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo, deixando o Aurora com um a menos.

E não demorou muito para o atacante Alecsandro fazer as pazes com a galera e recolocar o Vasco na frente do placar. Aos 38, Juninho levantou a bola na área e Alecsandro se antecipou ao goleiro para marcar: 2 a 1 Vasco.

No fim do primeiro tempo ainda deu tempo de Alecsandro ampliar. Julinho fez boa jogada pela esquerda, cruzou na medida e o camisa 9 cabeceou sem chances para o goleiro.

Passeio vascaíno na segunda etapa

Com um a mais em campo, o Vasco retornou para a etapa final decidido a garantir a classificação. E logo aos três minutos, Leandro marcou o quarto gol da equipe carioca. Fagner cruzou na área e Alecsandro ajeitou para Leandro fuzilar para o gol.

Após o quarto gol, que já garantia a classificação vascaína, a equipe carioca diminuiu o ritmo, ficando mais tempo com a bola nos pés. Aos 22, Juninho lançou em profundidade para Fagner, que invadiu a área e foi derrubado pelo defensor: pênalti. Na cobrança, Juninho fez o quinto do Vasco.

Três minutos mais tarde, o atacante Reinoso, do Aurora, “trombou” com Fernando Prass, dentro da área vascaína e o árbitro assinalou o pênalti para os bolivianos. Peña bateu colocado e anotou o segundo gol do Aurora.

A partir daí, o jogo ficou lá e cá. Aos 33, Bernardo recebeu passe açucarado de Juninho, na entrada da área, e finalizou forte para anotar seu segundo gol no jogo: 6 a 2 Vasco. Aos 36, foi a vez de o zagueiro Douglas deixar a sua marca. Allan levantou a bola na área e o zagueirão do Vasco cabeceou firme para o fundo do gol.

Leia Também:  Suspenso, Emerson desfalca o Corinthians no clássico contra o Palmeiras

Aos 42, Segovia diminuiu e anotou o terceiro gol do Aurora no jogo. Nos acréscimos, ainda deu tempo de Allan fazer bela jogada individual e marcar o oitavo gol vascaíno no jogo.

Top