Varizes: perigos, como tratar

É muito comum as mulheres sentirem fortes dores na perna, depois de um longo dia de trabalho. Junto com a dor, pode haver sensação…

Por Editorial MDT em 02/02/2012

Pernas elegantes e sem varizes, toda mulher deseja.

É muito comum as mulheres sentirem fortes dores na perna, depois de um longo dia de trabalho. Junto com a dor, pode haver sensação de queimação e formigamento, cansaço e as vezes até mesmo inchaço, isso sem falar no aparecimento de diversos vasinhos vermelhos e azuis, que acabam incomodando bastante por desarmonizar a estética da perna e deixar a paciente descontente.

É importante informar que o quadro clínico descrito sugere fortemente uma doença chamada de Insuficiência Venosa Crônica (IVC), popularmente conhecida como “varizes” dos membros inferiores.

Entendendo o que são as varizes

As veias mais dilatadas e tortuosas (chamadas varicosas) são as varizes, que correspondem a dilatações de veias localizadas superficialmente nos membros, que acabam tendo seu fluxo e direção da corrente sanguínea alterada, levando ao aparecimento dos sintomas, tão incômodos.

Já os minúsculos vasinhos, que possuem aspecto de “teia-de-aranha”, com coloração que varia entre o vermelho e azulado, são pequeninas vênulas dilatadas, chamadas de telangectasias.

Riscos dos portadores de insuficiência venosa crônica

Dependendo da classificação clínica do quadro e do acompanhamento médico regular ou não, a IVC pode trazer várias complicações decorrentes do agravamento da doença, como formação de fibrose do tecido celular subcutâneo, aparecimento de úlceras e ainda predispor outros problemas sérios, como a trombose, que se não tratada, pode ser fatal.

Técnica de secagem de varizes utilizando substâncias esclerosantes.

Fatores predisponentes

O principal fator para desenvolvimento da insuficiência venosa crônica, sem dúvida alguma é a hereditariedade. Pessoas com familiares próximos portadores de varizes, têm maiores chances de desenvolverem a doença. A obesidade pode tanto favorecer o surgimento de varizes, como também é um importante fator para o agravamento do quadro clínico.

Outros fatores importantíssimos são o sedentarismo, permanecer muito tempo em pé ou sentado (o importante é se movimentar, caminhando), fazer força excessiva (como as pessoas que trabalham carregando algum tipo de peso), gestação e terapia hormonal ou uso de anticoncepcionais.

Tratamento

A doença é classificada clinicamente em vários estágios, e para cada situação, há tratamento específico.

Se houver apenas telangectasias, o tratamento será a esclerose, que é a secagem dos vasos através da aplicação de substâncias esclerosantes ou laser. Para os casos onde os vasos são maiores, com mais de 2 mm de espessura e coloração azulada, o tratamento recomendado é cirúrgico, que tanto pode ser feito pelo método tradicional como também através da utilização de laser (que garante melhores resultados).

Cada uma das formas de tratamento apresentam vantagens e desvantagens e cada caso é uma situação única, que deve ser analisada pelo especialista para que seja avaliada a necessidade de exames complementares.

Retirada de varizes com cirurgia a laser.

A dica é ficar atento para o surgimento de qualquer sintoma, realizar o autoexame das pernas no mínimo uma vez a cada dois meses (ficar em pé em frente o espelho e observar o surgimento de vasos dilatados ou alterações na pele) e procurar o médico caso surja alguma dúvida.

Top