Vacinação contra gripe 2014

Começa nessa terça-feira, (22 de abril), a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesse ano de 2014, a imunização da gripe deve atingir…

Por Élida Santos em 22/04/2014

Começa nessa terça-feira, (22 de abril), a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesse ano de 2014, a imunização da gripe deve atingir mais crianças do a vacinação que aconteceu em anos anteriores, já que a faixa etária definida pelo Ministério da Saúde foi ampliada. Com a nova regra de vacinação gripe, crianças de seis meses a menos de 5 anos poderão ser vacinadas. No ano passado, somente crianças com até dois anos de idade podiam receber a vacina contra a gripe.

Confira no posto mais perto da sua casa a vacinação contra a gripe (Foto: Divulgação)

Vacinação contra gripe: ampliação de faixa etária

Representantes do governo federal afirmam que ampliação dessa faixa etária de vacinação vai beneficiar tanto as crianças quanto outros grupos vulneráveis que necessitam receber doses da vacina contra a gripe, como menores de seis meses de idade que ainda precisam da amamentação, idosos e pessoas com doenças crônicas, todos em grupos de risco, onde a gripe pode vir com mais força e criar mais estragos.

Grupos que podem fazer parte da vacinação contra a gripe (Foto: Divulgação)

Campanha de vacinação contra gripe vai até maio

A campanha de vacinação contra gripe prossegue até o dia 9 de maio e a meta do governo federal é vacinar ao menos 80% do público-alvo, que representa 49,6 milhões de crianças brasileiras. A vacinação contra a gripe também vai ser disponibilizada para grupos considerados mais vulneráveis à gripe, como por exemplo as pessoas com idade acima de 60 anos, trabalhadores da saúde ( que ficam em contato com pessoas doentes), povos indígenas (questão longe de atendimento à saúde), gestantes, mães até 45 dias depois de dar à luz, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

O Ministério da Saúde ainda incluiu nessa campanha de vacinação contra gripe pessoas que são portadoras de doenças crônicas, não transmissíveis, como rinite, ou que estão em condições clínicas especiais, mas não definiu uma meta a ser atingida nesses casos. Essas pessoas vão ter que apresentar prescrição médica no ato da vacinação para comprovar a sua condição.

Top