Vacina contra raiva em humanos

A raiva é uma doença bastante grave em humanos, e a vacina contra esse problema é um assunto bastante comentado, especialmente durante agosto, considerado…

A raiva é uma doença bastante grave em humanos, e a vacina contra esse problema é um assunto bastante comentado, especialmente durante agosto, considerado o “mês do cachorro louco”. Não é difícil encontrar várias campanhas de vacinação animal, para prevenção da doença, mas o que muitas pessoas não sabem é que a vacina antirrábica também está disponível para uso em humanos. Entenda melhor sobre o assunto e esclareça as principais dúvidas sobre a vacina contra raiva em humanos.

Existem vários tipos de vacina antirrábica para humanos. (Foto: divulgação)

Vacinas antirrábicas disponíveis para humanos

Atualmente as principais vacinas contra a raiva que podem ser utilizadas em humano são:

  • Vacina Fuenzalida & Palácios modificada;
  • vacina produzida em cultura de células diplóides humanas (human diploid cell vaccine – HDCV);
  • Vacina purificada produzida em culturas de células Vero (purified Vero cell vaccine – PVCV);
  • Vacina purificada produzida em cultura de células de embrião de galinha (purified chick-embryo cell vaccine – PCEV);
  • Vacina purificada produzida em embrião de pato (purified duck embryo vaccine – PDEV).

Apesar de serem bem menos comuns, ainda é possível encontrar outras vacinas antirrábicas para uso em humanos, mas ainda assim é importante lembrar que todas são inativadas, independente do tipo de células usada para cultivo ou dos mecanismos de produção envolvidos. Isso significa que não existem vacinas que apresentam o vírus vivo.

Pessoas em grupos de risco devem ser vacinadas. (Foto: divulgação)

Tratamento profilático da raiva humana

O tratamento profilático pré-exposição está indicado no caso de pessoas que fazem parte de grupos de alto risco de exposição ao vírus da raiva, como é o caso de veterinários, vacinadores, laçadores e treinadores de cães, além de profissionais que trabalham em laboratório manipulando amostras do vírus da raiva e professores e alunos que realizam pesquisas com animais potencialmente infectados.

Leia Também:  Cortes e cores de cabelo para o verão 2012

É muito importante que todas as pessoas que fazem parte do grupo de risco mantenham a vacinação antirrábica em dia. Os esquemas podem variar com relação ao tipo de vacina utilizada, quantidade e frequência das aplicações. Conheça os esquemas de vacinação profilática mais comuns:

  • Esquema com 4 doses da vacina Fuenzalida & Palácios modificada
    • Aplicações feitas nos dias 0, 2, 4 e 28;
    • Administração via intramuscular, com aplicação na região deltoide;
    • Dose: 1 ml, independente do sexo, idade ou peso do indivíduo.
  • Esquema com vacinas produzidas em cultura celular ou embrião de pato
    • Aplicações feitas nos dias 0m 7 e 28;
    • Administração via intramuscular, com aplicação na região deltoide;
    • Dose: 0,5 a 1ml, variando de acordo com o fabricante. A dose recomendada pelo fabricante independe do sexo, idade ou peso.

Os animais domésticos devem ser vacinados contra a raiva. (Foto: divulgação)

A raiva é uma doença muito grave e pode ser prevenida através da administração da vacina antirrábica especialmente desenvolvida para humanos. Vale a pena se manter antenado no assunto, especialmente algumas populações que constituem grupo de risco e, por isso devem a vacinação em dia.

Top