Universitários da USP resolvem entrar em greve geral após assembleia

Universitários da USP resolvem entrar em greve geral após assembleia

Universitários da USP (Universidade de São Paulo), reunidos em assembleia geral no anoitecer desta terça-feira (8), resolveram entrar em greve geral a partir de…

Por Editorial MDT em 09/11/2011

(Imagem: Foto divulgação)

Universitários da USP (Universidade de São Paulo), reunidos em assembleia geral no anoitecer desta terça-feira (8), resolveram entrar em greve geral a partir de hoje (9). Os alunos protestam contra a presença da Polícia Militar na universidade e a prisão de mais de 70 alunos que tomavam o prédio da Reitoria, desde a última quarta-feira (2). A reunião foi convocada pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes), o qual representa os estudantes da instituição.

Os estudantes se aliaram no edifício da faculdade de História e, de acordo com os componentes do movimento estudantil reuniram entre 2 e 3 mil integrantes. Duas alternativas foram consagradas na assembleia: o começo da greve ou uma referência da paralisação, a qual seria definida numa próxima assembleia. Em votação acirrada, mas realizada sem a contagem, venceu a primeira sujestão.

Além disso, a assembleia também decidiu que não haveria novas tomadas ou acampamentos no campus e que o convênio entre a instituição e a Polícia Militar deve ser anulado. Também foi discutido o apoio à liberdade imediata dos alunos  detidos ontem, sem que tolerem nenhuma reparação administrativa, e a saída do reitor da universidade, José Gandino Rodas.

Com a aprovação da assembleia geral dos alunos, agora cada universidade realiza uma votação para definir como será a participação dos estudantes, os quais poderão realizar manifestações, greves ou mesmo juntar à paralisação.

Uma nova assembleia geral foi programada  para quinta-feira (10), a qual será feita no Largo do São Francisco, no Centro da capital paulista, onde está situada a Faculdade de Direito da instituição.

Reintegração da reitoria

Na última terça-feira (8), a Tropa de Choque da Polícia Militar exerceu mandado judicial que solicitava a reintegração da posse da reitoria da instituição, tomada pelos alunos da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) desde a última quarta-feira (2).

Na atuação, mais de 70 alunos e servidores foram presos pela PM, onde foram  acusados por detrimentos ao patrimônio público e inobediência à ordem de Justiça. Ainda na assembleia geral, os alunos votaram um plano de segurança que esperam ser mais apropriado à USP do que a presença de PMs.

Top