União ameaça vetar contratos novos da Delta com administradoras públicas

Nessa terça-feira, 24 de abril, um processo instaurado pela Controladoria-Geral da União pode vetar novos contratos da Delta com administradoras públicas. De acordo com…

Por Élida Santos em 24/04/2012

Carlinhos Cachoeira era o mentor do esquema (Foto: Divulgação)

Nessa terça-feira, 24 de abril, um processo instaurado pela Controladoria-Geral da União pode vetar novos contratos da Delta com administradoras públicas. De acordo com a Polícia Federal, a construtora foi auxiliada por Carlos Cachoeira (preso por comandar um esquema ilegal de jogos de azar) para subornar autoridades de Tocantins, Goiás e Distrito Federal.
Mas o problema não foi só esse. O esquema também atingiu patamares federais, usando as mesmas técnicas de subornos políticos e de servidores públicos para conseguir os contratos. A Polícia Federal afirma que recursos públicos vindos da parceria entre a Delta e Carlinhos Cachoeira serviram de propina para políticos e autoridades que os ajudavam na conquista de contratos em licitações. Entre 2010 e 2011, companhias-fantasma fundadas por Cachoeira receberam da Delta cerca de 40 milhões de reais.

Segundo uma portaria publicada nesta terça-feira (24) no Diário Oficial da União, uma comissão vai analisar os contratos firmados pela Delta com a União, sobretudo relativos ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Se considerarem graves as irregularidades, eles podem impedir a companhia de firmar novos contratos com o governo federal até que todas as ilegalidades sejam resolvidas. A decisão também ameaçaria as obras já em andamento, que correriam o risco de serem paralisadas.

Com a diminuição dos contratos a Delta pode quebrar (Foto: Divulgação)

A Delta começou a faturar alto quando os petistas assumiram, tendo um aumento em seu lucro de 1.653% nesse período. O excesso de erros da empresa foi o que a denunciou, já que as investigações iniciadas pela Polícia Federal tinham como foco desmontar uma quadrilha de contraventores envolvidos com jogos de azar que subornavam policiais e autoridades para conseguirem seguir nas atividades ilegais. Aos poucos os grampos telefônicos começaram a revelar o envolvimento da Delta, como braço direito do esquema.

Top