Turismo sobre a Segunda Guerra Mundial: roteiro

A Segunda Guerra Mundial, que aconteceu entre 1939 e 1945, foi a mais sangrenta de todas, deixando um rastro de mais de 70 milhões…

Por Editorial MDT em 06/12/2011

A Segunda Guerra Mundial, que aconteceu entre 1939 e 1945, foi a mais sangrenta de todas, deixando um rastro de mais de 70 milhões de mortos. Ela aconteceu devido às dissidências entre duas alianças: a dos Aliados, formada pelos Estados Unidos, Inglaterra e França e o Eixo, que tinha como principais potências a Alemanha, o Japão e a Itália. Entre todos os países envolvidos, a Alemanha é o que mais contém história a ser contada, principalmente por causa do seu temível ditador Adolf Hitler e pelo Holocausto por ele imposto, matando milhares de judeus. Por isso, se você quer conhecer um pouco mais sobre a Segunda Guerra Mundial, veja qual é o roteiro que pode seguir enquanto faz turismo na Alemanha.

Hitler era um apaixonado por arquitetura e, ainda por cima, era megalomaníaco. Sendo assim, na época em que esteve no poder, foram construídos inúmeros monumentos grandiosos para engrandecerem o nazismo e o seu líder. No entanto, durante a Guerra, eles foram devastados pelas bombas jogadas pelos Aliados ou pela fúria de quem sofreu por causa do tirano.

Então, nesse local, que fica nos arredores da elegante avenida Unter den Linden, Boulevard, que termina no icônico portal de Berlim construído em 1719, o portão de Brandemburgo, foi construído um impactante Memorial em homenagem aos Judeus Assassinados na Europa.

O Memorial ocupa 19 mil metros quadrados e localiza-se na rua rebatizada de Hannah Arendt, intelectual que analisou as origens do totalitarismo nazista, enquanto esteve radicada nos Estados Unidos. Em seu interior, há 2.711 monolitos de tamanhos diferentes e, no subsolo, há uma exposição sobre o massacre dos judeus na Europa, durante a Segunda Guerra. Enquanto isso, em uma das salas, há um sistema de voz que diz todos os nomes dos judeus assassinados para lembrar das suas existências.

Na esquina entre as ruas Voss e Wilhelm, encontra-se um fabuloso prédio de apartamentos que um dia foi a sede do governo alemão, construída a mando de Hitler, em 1939. Lá, o ditador passou os seus últimos dias de vida, o que foi retratado pelo escritor Joachim Fest no livre “A Queda”, que também foi transformado em filme.

A poucas quadras desse prédio, a antiga sede da Gestapo, polícia política nazista, também desapareceu na rua Prinz-Albrecht. Em seu lugar, foi feita uma exposição de fotos e documentos com o nome de “Topografia do Terror”, que ficam entre as ruínas do antigo prédio e pedaços remanescentes do famoso Muro de Berlim, construído em 1961, durante a Guerra Fria, para dividir a cidade em capitalista e socialista.

A Segunda Guerra Mundial não deixou nenhum país orgulhoso, muito menos a Alemanha, que preza por enterrar o que os seus antepassados um dia fizeram. No entanto, ela deixa clara a sua homenagem aos que morreram por causa da loucura de um homem que dominou aquele país, deixando muito sangue e tristeza pelo caminho.

Top