Tumor de Lula tem agressividade média, afirmam médicos

De acordo com a equipe médica responsável pelo tratamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a biópsia indicou que o tumor na laringe…

Por Editorial MDT em 31/10/2011

Lula se reúne com equipe médica antes de iniciar tratamento (Foto: Divul / Instituto Cidadania)

De acordo com a equipe médica responsável pelo tratamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a biópsia indicou que o tumor na laringe de Lula é de agressividade média.

O anúncio foi feito em entrevista, concedida durante a manhã, pela equipe médica do Hospital Sírio Libanês. De acordo com o oncologista Paulo Hoff, trata-se do tumor mais comum dessa região e foi detectado em estágio considerado intermediário: “Ele é relativamente inicial, mas, não tão inicial que dê para resolver com uma pequena cirurgia, mas  é localizado, para nós isso é muito importante” afirmou o médico, destacando que Lula foi diagnosticado enquanto os sintomas eram iniciais, enquanto a maioria dos pacientes costuma ter um diagnóstico tardio.

A respeito da possibilidade de uma cirurgia, os médicos descartaram essa hipótese, em primeiro momento. É previsto um tratamento combinado de radioterapia e quimioterapia, que além das chances de cura serem as mesmas, ainda apresenta a possibilidade de preservar a laringe e voz de forma íntegra.

Segundo Paulo Hoff, os efeitos colaterais do tratamento serão os usuais, incluindo a queda de cabelo e pelos faciais. Já Roberto Kalil Filho, que trata de Lula desde antes das eleições presidenciais, disse que ele reagiu normalmente diante desta possibilidade, afirmando que está tranquilo e chegou ao hospital para iniciar o tratamento com “excelente humor” e “extremamente confiante”.

Os médicos informaram que o  tipo de câncer diagnosticado em Lula, atinge, em média, sete homens em cada 100 mil no mundo e que os maiores fatores e agentes de risco são relacionados a cigarro e álcool.

O tratamento

Lula chegou ao hospital durante a manhã e incialmente passou pela colocação do cateter pelo qual receberá medicamentos da quimioterapia. O tratamento começa hoje e ele deverá passar a noite no hospital. Já na terça, passará por exames complementares e poderá ter alta, enquanto os remédios continuarão sendo administrados via cateter, por 120 horas.

Durante o tratamento, o ex presidente se submeterá a três ciclos quimioterápicos, sendo um a cada 21 dias. Após três ou quatro semanas, ao fim do terceiro ciclo, será feita radioterapia.

O tumor do ex-presidente foi diagnosticado durante exames de rotina realizados no último sábado (29), após Lula ter relatado rouquidão acima do normal, nos últimos 40 dias, ocasionando realização de ressonância magnética e tomografia no pescoço. Conforme divulgado ainda no sábado, o tumor está localizado sobre a glote e tem tamanho entre 2 e 3 centímetros.

Compromissos

De acordo com o G1, Lula suspendeu os compromissos de viagens nacionais e internacionais, até janeiro de 2012, devido ao tratamento. As viagens são frequentes desde o fim do mandato, realizando palestras e se encontrando com outros chefes de estado e personalidades.

Top