Tributo ao Legião Urbana no Rock in Rio

Entre polêmicas e elogios o Rock in Rio retomou sua maratona de Shows nesta quinta (29) e pode-se dizer que com o pé direito,…

Entre polêmicas e elogios o Rock in Rio retomou sua maratona de Shows nesta quinta (29) e pode-se dizer que com o pé direito, pois a apresentação de abertura do festival, o concerto da Orquestra Sinfônica Brasileira, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos teve uma repercussão extremamente positiva, que pode ser vista no publico presente no festival, onde 100 mil pessoas cantaram emocionadas alguns dos maiores clássicos da carreira da banda Legião Urbana.

Apesar de convidados prestigiados, quem fez o show acontecer foi à platéia empolgada com os hits, dando a impressão de que aquela era a única apresentação da noite, ou certamente a mais especial da noite.

O show começou com a orquestra tocando Eduardo e Monica, Geração Coca Cola, e Que país é esse, e logo em seguida foram exibidos vídeos nos telões em homenagem ao eterno líder da banda, Renato Russo, dando inicio a emoção na platéia.

O primeiro convidado a se apresentar no palco junto com orquestra e os ex-integrantes da Legião Urbana foi o vocalista da banda Jota Quest, Rogério Flausino, que empolgou o publico com duas músicas da Legião: “Tempo perdido” e “Quase sem querer”.

Toni Platão foi o segundo a se apresentar, com sua voz grave ele cantou a conhecidíssima “Quando o sol bater na janela do seu quarto, acompanhado por um coro fiel que sabia de cor todas as músicas da Legião.

Em seguida a roqueira Pitty subiu no palco e cantou o clássico “Índios”, uma das músicas mais difíceis da Legião, como o próprio Renato já relatou. Apesar de parecer um pouco desconfortável no palco por conta do tom da música estar muito baixo, a cantora não fez feio e soltou a voz junto com a multidão.

Leia Também:  Inscrição programa Casos de Família SBT

Uma das surpresas da noite foi Marcelo Bonfá tocando sua bateria e cantando “O teatro dos vampiros”, surpreendendo muitas pessoas que não tinham conhecimento sobre este outro dom do baterista.

Na vez de Hebert Viana (Paralamas do sucesso) a platéia cantou emocionada a famosa música “Será”, com uma bela interpretação de Hebert Viana.

Por fim, foi à vez de Dinho Ouro Preto, líder do Capital Inicial que viveu intensamente o começo da Legião Urbana antes da fama, e com toda a energia do cantor deu vida a importante canção “Por Enquanto”, também com todo o entusiasmo do publico.

O ápice da apresentação foi quando todos os músicos voltaram ao palco e cantaram a uma só voz com a platéia o maior clássico da Legião Urbana “Pais e Filhos”, a vibração era tão boa que os músicos repetiram a música “Será”, e foram extremamente aplaudidos.

Os músicos também homenagearam o filho de Cissa Guimarães morto em um atropelamento, assim como os músicos do Red Hot Chili Peppers, e vestiram a camiseta com o rosto de Rafael. Outra peculiaridade do show foi que os filhos de Marcelo e Dado tocaram junto com os pais na apresentação épica homenageando o grande compositor e vocalista da banda Legião Urbana, sem duvida o show já entrou para a história do maior festival de música do mundo

Top