Tratamento para parar de fumar pelo SUS

O tabagismo é um costume que finalmente está saindo de moda. É cada vez maior o número de pessoas que procuram auxílio para cessar…

O tabagismo é um costume que finalmente está saindo de moda. É cada vez maior o número de pessoas que procuram auxílio para cessar o uso do cigarro. Anualmente, cerca de 80% dos indivíduos tabagistas manifestam o desejo de acabar com o hábito mas, infelizmente, apenas 3% desses indivíduos alcançam êxito. Esse dado reforça a ideia da necessidade de um acompanhamento profissional continuado, somado à necessidade de conscientização da importância de manter o tratamento e se livrar do tabagismo.

Entenda como o tabagismo pode acelerar a degradação mental.

O SUS oferece a assistência necessária a quem deseja cessar o tabagismo. (Foto: divulgação)

A boa notícia é que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o apoio necessário a esses pacientes, incluindo o uso de medicação na forma de adesivos ou gomas de mascar de nicotina. Fique por dentro do assunto e conheça o tratamento para parar de fumar pelo SUS.

Como funciona o tratamento pelo SUS

O tratamento contra tabagismo oferecido pelo SUS foi regulamentado e 2004, mas ainda hoje não é muito popular. De acordo o que consta na legislação, a terapia deve envolver, obrigatoriamente, uma abordagem cognitivo-comportamental associada ao uso de fármacos, que pode ser opcional dependendo da indicação do caso.

Todo paciente interessado em se submeter ao procedimento deve procurar a Unidade da Saúde da Família (USF) ou Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima, onde passará por uma avaliação clínica. Nessa primeira consulta é fundamental que seja estabelecida qual a relação do fumante com o cigarro, a fim de que seja traçado o melhor plano de intervenção.

Entenda a influência dos pais no tabagismo de jovens.

Anualmente 80% dos tabagistas tentam parar de fumar, mas apenas 3% conseguem. (Foto: divulgação)

É muito importante esclarecer que o todo tratamento para parar de fumar é feito por consultas individualizadas ou reuniões em grupo, que visam prevenir a ocorrência de recaídas. Caso seja necessário, pode ser prescrita medicação capaz de diminuir os sintomas de uma eventual síndrome de abstinência à nicotina.

Leia Também:  Dia Nacional da Saúde com dicas para vida saudável

Métodos alternativos

Pacientes que apresentam dificuldade de aderir ao tratamento ainda podem se beneficiar com algumas medidas alternativas, capazes de auxiliar no tratamento e que podem ser oferecidas em algumas USFs ou UBSs. Um bom exemplo é a acupuntura. Também é possível usar piteiras de redução de nicotina e laserterapia. É necessário deixar claro que ainda não existem estudos reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que comprovem a eficiência desses métodos, que também não são contraindicados pelo Ministério da Saúde.

Saiba como funciona o tratamento com acupuntura pelo SUS.

Adesivos de nicotina ajudam a prevenir crises de abstinência. (Foto: divulgação)

O tabagismo é um hábito que, além de estar saindo de moda, é responsável por trazer vários problemas ao organismo. Felizmente, é possível conseguir tratamento gratuito pelo SUS, que entre outras coisas, assegura consultas frequentes e até mesmo disponibiliza o uso de medicação capaz de auxiliar nos episódios de crise de abstinência.

Top