Tratamento com nicotina ajuda melhorar memória de idosos

Imagem: (Foto Divulgação) Pessoas idosas com problemas de memória podem se favorecer de um tratamento que introduz pequenas porções de nicotina. É o que…

Imagem: (Foto Divulgação)

Pessoas idosas com problemas de memória podem se favorecer de um tratamento que introduz pequenas porções de nicotina. É o que revela uma pesquisa feita nos Estados Unidos, divulgada na revista Neurology, da Academia Americana de Neurologia.

O estudo avaliou 74 participantes não fumantes com idade média de 76 anos. Eles foram divididos em dois grupos, no qual o primeiro recebeu um adesivo de nicotina na pele e o segundo grupo, placebo. O estudo teve duração de seis meses. Os submetidos ao tratamento com nicotina tiveram melhores implicações em análises cognitivas de atenção e memória, além de maior agilidade e coesão para processar informações.

“Após seis meses com o adesivo de nicotina, o grupo recuperou 46% do rendimento normal para a idade na memória de longo prazo, enquanto o grupo placebo teve uma queda de 26% no mesmo período”, enfatiza a pesquisa. Os autores do estudo, ressaltam que os idosos não devem começar a fumar para melhorar a memória e que serão necessários mais estudos para sancionar os efeitos benéficos da droga a longo prazo.

Além disso, também não é provável que a droga ajude pessoas que possuem boa memória. “Se já está funcionando bem, não é necessária, mas se há declínio, a nicotina pode devolver parte da boa memória. Um pouco dela faz com que o desempenho melhore”, advertiu Paul Newhouse, chefe do estudo e diretor do Centro de Medicina Cognitiva da Universidade do Vanderbilt Medical Center.

Top