Ternos masculinos dicas  

Os ternos masculinos, é fato, são um ícone de elegância e estilo, seja para o uso casual ou para eventos formais. E se você…

Os ternos masculinos, é fato, são um ícone de elegância e estilo, seja para o uso casual ou para eventos formais. E se você pensa que basta jogar um modelo preto por sobre uma camisa branca está muito enganado. A moda dita diversas tendências que trabalham com diferentes modelos e padronagens que são adequados para cada ocasião. Para aqueles que ficam perdidos diante das possibilidades existentes, selecionamos algumas misturas, truques e dicas essenciais para que você fique bem alinhado, elegante e – o mais importante – adequado independente da situação. De qualquer forma a regra número um diz que um terno, estando bem ajustado (respeitando as suas proporções), serve para todas as épocas e locais.

Há diferentes tipos de modelos de terno e vamos explorar alguns agora. O primeiro é o Italiano, que apresenta ombros largos, corte quadrado e não tem abertura traseira. É um modelo mais sóbrio, indicado para aqueles homens mais magros e esguios. O corte maus quadrado equilibra o conjunto. Contudo, indica-se escolhê-lo com cuidado, pois ele pode parecer demasiado “largo”.

O Britânico já é bem diferente, pois tem um corte mais ajustado e apresenta duas aberturas traseiras. Por conta disso, ele é mais confortável que o italiano e facilita os movimentos.  Outra opção é o americano, que vem com uma fenda traseira – ou seja, com mais movimento que o italiano, mas menos que o britânico – lapelas estreitas e alongadas. É um modelo indicado aos mais gordinhos e baixinhos (apesar de servir bem a todos os tipos), pois afina e alonga a silhueta.

Há também o tradicional Jaquetão. Um paletó transpassado que pode ser variado e usado com calças de ternos distintos. Por conta da maneira como é fechado, não á muito confortável. A etiqueta (e o próprio modelo, que fica feio aberto) não permite ser usado sem estar fechado. Seu corte indica que os homens altos e magros são mais afeitos a usá-lo. É um modelo que anda meio fora de moda, mas há sempre quem goste.

Leia Também:  Truques e dicas na hora de comprar roupas

Em relação à padronagens e cores, as opções são variadas e a combinação vai do gosto de cada um, apesar de haver algumas “regrinhas” que, se seguidas, evitam equívocos.

Optar pelos tradicionais marinho, preto e cinza chumbo, por exemplo, costuma não causar problemas. Afinal, são as mais usadas e servem tanto para o dia quanto para a noite. Outra indicação dessas cores é pelo fato delas “emagrecerem”. Sem contar que um terno escuro, via de regra, é mais elegante.

Os tons de bege e cinza claro já são mais indicados para ocasiões diurnas. O importante ao escolher essas cores é tomar cuidado com o resto do conjunto – camisa e gravata. Cores muito pálidas e próximas dos tons dos ternos podem deixar a pessoa apagada, se muito coloridas podem dar um tom de exagero. A dica é manter-se na segurança da camisa branca e carregar um pouco mais na cor da gravata (desde que ela combine em desenho e tonalidades com o terno. Ah, e também não podemos nos esquecer que as cores das roupas se equilibram com os tons de pele. No caso do bege, é indicado para quem tem a pele mais morena. Para os mais claros, opte pelos tons de cinza.

Um terno muito elegante e charmoso, que confere muito estilo a quem usa – é o risca-de-giz. Ele é clássico que pode ser usado por todos, mas mais ainda por aqueles quem estão acima do peso, pois as listras alongam a silhueta. Já o xadrez cai bem nos dias mais frios, mas deve ser evitado por quem está acima do peso, já que ele alarga a composição. Só uma dica, tanto o terno risca-de-giz quanto o xadrez pedem alguém de personalidade para usá-los, pois eles fogem à regra do dia-a-dia e sua escolha transmite um ar de ousadia.

Leia Também:  Coleção Arezzo inverno 2014

Top