Steve Jobs: admiração por Zuckerberg, porém desprezo por Bill Gates

Iniciadas as vendas da biografia de Steve Jobs, feita por Walter Isaacson, questões começam a ser respondidas. Algumas delas são as opiniões de Jobs…

Por Redacao em 24/10/2011

Iniciadas as vendas da biografia de Steve Jobs, feita por Walter Isaacson, questões começam a ser respondidas. Algumas delas são as opiniões de Jobs à respeito de Mark Zuckerberg e Bill Gates.

Os reveladores depoimentos do fundador da Apple prometem mostrar ao público o seu fabuloso jeito de ser e pensar.

Sobre Mark Zuckerberg, criador do Facebook, Jobs afirmava admirá-lo por não ter vendido a rede social. E, também, disse que não existia pessoa mais importante do que Zuckerberg, no setor.

Apesar de idolatrar o Facebook, Jobs parecia sentir certo desprezo pelas rivais Google e Microsoft. “Eles não entendem nada”, afirmou ele, referindo-se às duas empresas concorrentes.

A biografia cita uma visita de Bill Gates a Steve Jobs, em maio deste ano, quando o criador da Apple já estava bastante doente. Os assuntos da conversa eram família, saúde, educação e negócios – que não poderia faltar. Gates teria comentado que o modelo da Apple, que possui total controle dos produtos que vende, é um modelo de sucesso. Jobs teria respondido com o mesmo tom, afirmando que a forma de administrar da Microsoft, que licencia seus softwares para outras empresas fabricarem os equipamentos, também funcionava.

De fato, ambos modelos tem sucesso inquestionável.

Passado um tempo, Isaacson questionou Gates sobre a conversa. “ O que eu não disse a ele é que o modelo da Apple funciona, desde que haja um Steve Jobs no comando”, disse o fundador da Microsoft. Depois, Isaacson voltou a perguntar a Jobs se ele, realmente,  acreditava que o modelo da rival era bom. Ele respondeu: “É claro! O modelo de negócios fragmentado deles funciona. Mas não leva a produtos realmente grandiosos. Ele produz porcarias. Esse é o problema, pelo menos a longo prazo”.

Ao que parece, Gates sempre teve fascínio pela concorrente Apple. Já para Jobs, Bill Gates era muito normal pro seu gosto, e chegou a dizer ainda, que ele seria melhor se tivesse usado drogas e ido meditar na Índia, durante a juventude.

Em 1993, em entrevista ao Jornal Wall Street, Steve Jobs disse uma frase que resume, inteiramente, o seu modo de pensar: “Ser o homem mais rico do cemitério não me interessa. Ir para a cama, à noite, dizendo que fiz alguma coisa maravilhosa é o que importa para mim.” . O que não parece ser o mesmo da rival Microsoft.

Top