Sintomas mais comuns da DST

As doenças sexualmente transmissíveis é um problema que afeta várias mulheres e, além de causar incômodo e mal estar, em situações mais graves podem…

Por Editorial MDT em 22/10/2012

As doenças sexualmente transmissíveis é um problema que afeta várias mulheres e, além de causar incômodo e mal estar, em situações mais graves podem evoluir para várias complicações, como câncer de colo de útero, infecções urinárias graves e doença inflamatória pélvica. Conheça os sintomas mais comuns da DST.

Conheça o tratamento gratuito para DST.

Conheça os principais sintomas de DST. (Foto: divulgação)

Sintomas mais comuns

De uma forma geral, os primeiros sinais e sintomas de DST e que podem significar a necessidade de uma visita ao ginecologista, são:

  • Ardência e/ou corrimento vaginal;
  • Dor durante as relações sexuais, que podem ser desencadeadas tanto pela penetração (dispareunia de penetração), como pela profundidade da penetração (dispareunia de profundidade);
  • Dor mediante o simples contato íntimo;
  • Inchaço genital, especialmente dos pequenos e grandes lábios vaginais;
  • Hiperemia genital;
  • Dor e/ou dificuldade para urinar;
  • Dor em baixo ventre;
  • Mau cheiro vaginal;
  • Ferida ou qualquer tipo de lesão genital.

Uma consulta ao ginecologista é fundamental. (Foto: divulgação)

Investigação médica

Ao perceber qualquer um desses sintomas, é importantíssimo que a mulher procure auxílio médico, para que seja realizada uma avaliação minuciosa e a solicitação de exames, caso necessário, como ultrassonografia e Papanicolau.

Os casos de DST entre os idosos duplicam na última década. Saiba mais.

Diagnóstico com base nos sintomas

As doenças sexualmente transmissíveis podem cursar com sintomas semelhantes, apesar de serem causadas por diferentes agentes. De acordo com pequenas variações do quadro, é possível fazer o diagnóstico clínico da doença, na maioria dos casos.

Nem tudo que parece é DST

Uma boa parte dos quadros de DST pode ser confundida com outros problemas ginecológicos, que não estão relacionados à transmissão sexual e sim com variações da atividade do sistema imunológico e proliferação de agentes da própria flora vaginal, como é o caso das vaginoses e candidose, com sintomatologia bastante semelhante a algumas DSTs. Por isso apenas o médico é o profissional apto a realizar o diagnóstico e instituir o tratamento.

Tratamento

De acordo com a clínica ou agente identificado nos exames auxiliares, o médico irá fechar o diagnóstico e iniciar o tratamento, que varia de acordo com os patógenos envolvidos. Na maioria dos casos, é necessário o uso de antibiótico ou antifúngico, além de abstinência sexual e boa higiene íntima.

Dor abdominal pode ser um dos sintomas de DST. (Foto: divulgação)

As DSTs possuem sintomas inespecíficos, porém suficiente para desconfiar de que algo está errado com o sistema genital. Esse tipo de problema é estigmatizante e as pacientes demoram para procurar auxílio, o que pode resultar em complicações graves. Uma avaliação médica é essencial para o diagnóstico, pois os sintomas de DST são semelhantes a outras doenças que afetam os genitais.

Top