Síndrome de Burnout: o que é?

Quando os nervos estão à flor da pele e qualquer coisa pode ser motivo de uma crise, pode ser que você esteja com a…

Por Élida Santos em 06/01/2012

Os problemas no trabalho causam a Síndrome de Burnout (Foto: Divulgação)

Quando os nervos estão à flor da pele e qualquer coisa pode ser motivo de uma crise, pode ser que você esteja com a Síndrome de Burnout. Essa doença psicológica consiste no esgotamento emocional. Os problemas podem ser ocasionados pelo grande esforço mental no trabalho. Os profissionais com esse mal podem apresentar irritabilidade, desinteresse, desmotivação, frustração, depressão, angústia, e esses sintomas são aliviadas com atitudes negativas.

Como consequência a pessoa fica mais irresponsável, não se preocupa com os impactos dos seus atos, podendo tomar atitudes incompreensíveis. Além disso, o seu rendimento no trabalho cai, e a empresa acaba sentindo falta dessa mão de obra. A Síndrome de Burnout pode afetar profissionais de várias áreas que possuem contato com o público, ou que trabalham em um departamento que exige o trato direto com os colegas da empresa.

O problema deve ser tratado assim que identificado (Foto: Divulgação)

Além dos problemas mentais, as pessoa começa a apresentar problemas fisiológicos, como por exemplo, cansaço, dores musculares, falta de apetite, frieza ao lidar com o público, insônia, dores de cabeça que não passam mesmo com a ingestão de medicamentos e até dificuldades para respirar.

Esse problema pode ser prevenido e um do dos meios mais simples que é identificar os efeitos de tamanho estresse. Uma vez que o problema é identificado o local deve passar por uma adaptação para receber o funcionário portador da síndrome. Estabelecer laços pessoais, priorizar as tarefas que são mais importantes para que o colaborador sinta-se mais seguro, não sobrecarregar e nem pressionar o portador da doença é outro caminho para que ele se recupere rapidamente. Os colegas de trabalho devem auxiliar no tratamento para que ele seja um sucesso.

Os colegas de trabalho devem ajudar no tratamento (Foto: Divulgação)

Os meios de se tratar um paciente que sofre com essa síndrome são diversos, podendo começar a partir de readaptações,  fitoterápicos, intervenções psicossociais, fármacos, e até o afastamento profissional por um certo tempo. A Síndrome de Burnout difere da depressão, pois o portador dessa doença só a tem por causa de situações ligadas ao trabalho, já a depressão é decorrente de problemas pessoais.

Top